Santo André cria primeira Suplente Privado de Patrimônio Proveniente do ABC

0
149

Prefeitura de Santo André assinou na
tarde desta terça-feira (20) o termo para a criação da primeira
Suplente Privado de Patrimônio Proveniente (RPPN) do ABC

Crédito: Ricardo Trida/PSA

A Prefeitura de Santo André assinou na tarde desta terça-feira
(20) o termo para a criação da primeira Suplente Privado de
Patrimônio Proveniente (RPPN) do ABC, que será feita em
Paranapiacaba em parceria com a empresa Cesari. A assinatura do
termo, que promoverá a guardação da fauna e da flora do
sítio, faz segmento do Junho Virente, programação do mês do meio
envolvente promovida pela administração.

A RPPN Nascentes do Rio Mogi, de propriedade da empresa CEMULTI
– Cesari Empresa Multimodal de Movimentação de Materiais Ltda,
tem uma área totalidade de 48.042,47 hectares em Santo André e ocupa
aproximadamente 500 milénio m² próximos à segmento baixa da vila de
Paranapiacaba. O sítio traz porquê atributo a presença da
vegetação nativa, porquê da Mata Atlântica e do obstruído, além das
nascentes e da variação da fauna e da flora.

A RPPN é uma categoria de Unidade de Vigiação (UC) de
domínio privado e perpétuo e traz porquê objetivo a guardação
da biodiversidade sem que haja desapropriação ou alteração dos
direitos de uso da propriedade. Atualmente existem 87 RPPNs
instituídas no território paulista, mas essa é a primeira do
ABC.

Segundo o prefeito Paulo Serra, a criação da suplente é um
exemplo da importância dada pela Prefeitura para as questões de
sustentabilidade. “Temos buscado fazer com que a cidade dê bons
exemplos e essa parceria com a Cesari, além de resgatar o
noção de empresa cidadã, também tem aspectos de estímulos
ambientais. Estamos muito felizes de poder assinar esse termo,
é um motivo de grande alegria esse grande exemplo que Santo
André está sendo. Tenho certeza que a criação dessa primeira
RPPN irá fazer com que a cidade continue se desenvolvendo, mas
sem olvidar a sustentabilidade”, afirma.

Uma vez instituída pelo Poder Público, a RPPN passa a integrar
o Sistema Pátrio de Unidades de Vigiação – SNUC, conforme
previsto na Lei Federalista nº 9.985/2000. O pedido de
reconhecimento da RPPN é iniciativa do proprietário,
formalizado mediante requerimento e análise da Fundíbuloção
Florestal.

De convénio com o gerente de engenharia da Cesari, Ruben Armando
Espinoza Munoz, a empresa tem área totalidade de aproximadamente 1
milhão de m² em Santo André e cedeu quase metade para a criação
da suplente. “É um grande prazer ter conseguido constituir essa
primeira RPPN da região. Fizemos uma parceria muito grande com
a Prefeitura e isso nos incentivou a fabricar essa suplente na
cidade”, contou o representante da Cesari.

A atual administração possui meta de incrementar em 10% a
quantidade de m² por habitante de área virente dentro do
perímetro urbano até 2020 e, face a outras metas, estabelecerá
uma Política Municipal de Mudanças Climáticas e uma Política
Municipal de Arborização Urbana.

Santo André cria primeira Suplente Privado de Patrimônio Proveniente do ABC
Avalie esta notícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here