Santo André gasta R$ 5 mi em serviços urbanos

186

Passados pouco mais de seis meses das gestões das prefeituras
do Grande ABC, o Diário decidiu rodar pela região para detectar
porquê está a qualidade dos serviços urbanos nas sete cidades.
Não foi difícil notar que alguns municípios estão realizando o
trabalho de forma tímida, enquanto outros ainda patinam na
execução de serviços básicos, porquê capinação por exemplo. Santo
André, somente com trabalho de revitalização de praças e outras
ações porquê roçagem, poda de árvores gastou aproximadamente R$ 5
milhões neste primeiro semestre. São Caetano informou somente
que utilizou R$ 73.038 em 220 toneladas de asfalto para
recapeamento. São Bernardo e Mauá não mencionaram valores,
somente explicaram que estão aplicando ações ligadas à zeladoria
da cidade. Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra não
responderam às demandas até o fechamento desta reportagem.

Com cronogramas e balanços disponibilizados na página solene
da Prefeitura e nas redes sociais, Santo André tem realizado
serviços que visam à arrumação da cidade. Segundo balanço
obtido pelo Diário, o município, somente neste primeiro
semestre, teria tapado mais de 35 milénio buracos, o que daria uma
média de 226 buracos por dia. Foram reformados 206 pontos de
ônibus e mais de 3.000 toneladas de entulhos foram removidas.

As praças da cidade também foram fim de manutenção, já que 13
destes espaços foram revitalizados. Academias ao ar livre
também foram reformadas,houve também poda de árvores, roçagem e
despraguejamento e adoção de praças, que foram 21 somente nesta
gestão.

Na vizinha São Bernardo, Orlando Morando (PSDB) também sentou
na cadeira do Executivo há seis meses. Recentemente, o
município passou por problema de coleta de lixo, já que o
serviço fica a incumbência da empresa SBC Valorização de Resíduos,
que após imbróglio com o Paço, operará somente até o término deste
ano.

Diferentemente do balanço revelado por Santo André, a cidade de
São Bernardo não indicou valores gastos com poda de árvores,
manutenção de ruas e praças pois, segundo a gestão, os custos
estariam embutidos no orçamento da Secretaria de Serviços
Urbanos. A varrição de rua também é realizada pela SBC
Valorização de Resíduos e a quantia está dentro do contrato
firmado pela empresa com a Prefeitura, estimado em R$ 4 bilhões
para 30 anos.

Assinalado porquê destaque pela administração, o programa de
zeladoria Novidade São Bernardo tem porquê principal ação o Parede
Limpa, que visa restaurar o patrimônio público da ação de
pichadores, principalmente. Segundo a gestão, ao longo de
quatro meses, 300 prédios municipais foram recuperados.

.

Já em Mauá, que também está sendo gerida por um novo prefeito,
Átila Jacomussi (PSB), a principal ação recebe o nome “Um Novo
Tempo”. Um dos braços do programa, o projeto Pintou Limpeza já
atendeu 34 bairros no primeiro semestre. Segundo o balanço da
Prefeitura, foram realizados serviços de pintura de guias e
calçadas, sinalização de chão e Cata-bagulho. Nos bairros, a
ação atendeu 53 praças, com troca de brinquedos e recebimento
de equipamentos de ginástica. Foram atendidas também 36 escolas
e 15 UBSs (Unidade Básica de Saúde).

O balanço enviado pela municipalidade de São Caetano explica
algumas ações que pertenciam à Secretaria de Serviços Urbanos
foram repassadas para outras Pastas, porquê a poda de árvores
que, agora, está sob responsabilidade do DAE (Departamento de
Água e Esgoto). A situação da sinalização de trânsito fica por
conta da Semob (Secretaria de Mobilidade Urbana). A prefeitura,
no entanto, não passou valores gastos ou quaisquer lista de
serviços realizados na cidade por estas Secretarias.

No primeiro semestre, São Caetano gastou R$ 73.308 em 220
toneladas de asfalto para o recapeamento de ruas. Na segunda
metade do ano, segundo a gestão, a Pasta dará ininterrupção ao
programa de revitalização de lagos e parques, além de
manutenção de escolas. 

Santo André gasta R$ 5 mi em serviços urbanos
Avalie esta notícia