Santo André intensifica Operação Comércio Responsável durante a fase emergencial

Santo André intensifica Operação Comércio Responsável durante a fase emergencial :

Santo André intensifica Operação Comércio Responsável durante a fase emergencial


Crédito: Angelo Baima / PSA

As equipes da Prefeitura de Santo André, Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e GCM (Guarda Civil Municipal), com apoio das polícias Militar e Civil, intensificaram as abordagens da Operação Comércio Responsável a partir desta segunda-feira (15), em razão do início da nova fase do Plano São Paulo de combate ao novo coronavírus, chamada de fase emergencial.

Nesta segunda, os agentes percorreram os eixos comerciais do Centro, Santa Teresinha, Camilópolis, Utinga, Vila Lucinda, Parque das Nações, Vila Luzita, Vila Tibiriçá e Jardim Santo André. Durante a ação, 110 estabelecimentos receberam orientações sobre as regras e normas vigentes. Não houve necessidade de realizar interdições ou aplicar multas.

A Operação Comércio Responsável foi implementada pela Prefeitura de Santo André em março de 2020, logo após o início da pandemia. As ações continuaram a ocorrer mesmo durante os períodos de flexibilização. Durante a fase emergencial as abordagens serão diárias, tanto em centros comerciais, quanto em bairros mais afastados e periféricos.

No último final de semana (dias 13 e 14), foram vistoriados 168 estabelecimentos comerciais – sendo que 30 locais receberam orientação –, assinados quatro termos de compromisso, realizadas duas interdições (no Jardim Ipanema) e emitido um auto de infração ambiental.

Só em 2021, até o momento, foram mais de 1.600 locais vistoriados em 55 bairros da cidade. Durante as ações deste ano, as equipes já flagraram 111 aglomerações e 370 locais que funcionavam sem permissão ou fora do horário de funcionamento. Além disso, ocorreram 21 interdições, quase 500 orientações a responsáveis em estabelecimentos, 13 advertências ambientais e 18 autos de infração ambiental (multa) referentes a problemas de poluição sonora. Também foram emitidos 41 termos de compromisso.

A adoção da fase emergencial é necessária para conter o avanço das contaminações por Covid-19 e, consequentemente, dar fôlego aos sistemas de saúde – que operam em capacidade máxima, reduzindo o número de internações.

O decreto assinado pelo prefeito Paulo Serra foi publicado no último sábado (13) e elenca as novas regras de funcionamento e operação de diversos serviços e comércios da cidade. Além disso, também há lockdown noturno, das 22h às 4h, e suspensão da circulação de ônibus no mesmo período. Em princípio, as regras da fase emergencial vigoram de 15 a 30 de março.

As denúncias de aglomeração podem ser feitas pelo aplicativo Colab, da Prefeitura de Santo André, ou ainda pelos telefones 153 da GCM e 190 da Polícia Militar. Para denúncias referentes a poluição sonora em estabelecimentos comerciais, o morador pode acionar o Semasa, por meio do site www.semasa.sp.gov.br .

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies