Santo André promove concerto sinfônico didático com entidades assistenciais

129

Ação feita em parceria da Secretaria
de Cidadania e Assistência Social com a Orquestra Sinfônica de
Santo André atendeu tapume de 300 crianças e adolescentes

Crédito: Júlio Bastos/PSA

Olhos atentos e curiosos encheram o Teatro Municipal de Santo
André na tarde desta quarta-feira (9). A Secretaria de
Cidadania e Assistência Social, em parceria com a Orquestra
Sinfônica de Santo André (OSSA), realizou o primeiro concerto
sinfônico didático para tapume de 300 crianças de 5 a 12 anos de
escolas e instituições sociais do município.

Sob a batuta da regente assistente Natália Larangeira, os
músicos abriram o evento ao som do contemporâneo e premiado
compositor John Williams, com o tema do filme “Star Wars”.
Mesmo sem anunciar qual seria a música, as crianças já
reconheceram a peça. Em seguida, o maestro Abel Rocha mostrou a
peça original utilizada no jogo “Five Nights”, a rombo da
ópera Carmen (1875) de Bizet. Mas não foi só da platéia que os
convidados assistiram ao concerto, o estudante Murilo Valveson,
de 9 anos, subiu ao palco para reger o finale de William Tell
Overture (1829), de Gioachino Rossini, utilizado em muitas
animações para cenas de corridas de cavalos. “Eu achei muito
lícito porque assim eu tenho mais experiência com a música”,
falou o jovem integrante do projeto Futuração, onde estuda
violino há 3 anos. O pai de Murilo e professor no projeto,
Douglas Leite, se orgulhou ao ver o fruto regendo a OSSA. “É um
incentivo para as crianças. No fundo elas querem estar lá [no
palco], e isso aproxima os sonhos deles da verdade”,
comentou.

Na sequência, seis crianças foram convidadas a ouvir a famosa
“Cancan”, da opereta Orfeu no Inferno (1858), de Jacques
Offenbach, sentadas entre os instrumentos. Uma delas era
estudante Caroline Rodrigues de Oliveira, de 9 anos, integrante
da Instituição Amélia Rodrigues. “Eu toco violão e achei muito
lícito saber outros instrumentos. Daqui o som é muito mais
potente”. A orquestra ainda surpreendeu a todos ao tocar “Na sola
da bota”, da dupla sertaneja Rionegro & Solimões, levando
todos a fustigar palmas e fustigar o pé. Para finalizar o concerto
interativo, os músicos fizeram um jogo rítmico com o público,
em que a orquestra tocava, e a platéia fazia percussão corporal
uma vez que comitiva.

A secretária adjunta de Cidadania e Assistência Social, Kenya
Costa Roble, anunciou que até o final do ano outras
instituições serão convidadas para essa experiência. “Queremos
que as crianças venham para os concertos não só uma vez que ouvintes,
mas que participem. Quem sabe, se vejam no horizonte uma vez que músicos
e que tenham entrada as atividades culturais diversas, que são
importantes para a suas formações uma vez que cidadãos.”

Santo André promove concerto sinfônico didático com entidades assistenciais
Avalie esta notícia