Santo André propõe lei que proíbe fogos de artifício

Crédito: Alex Cavanha/PSA
A Prefeitura de Santo André elaborou projeto de lei que proíbe o manuseio, a utilização, a queima e a soltura de fogos de estampidos e de artifícios, assim como de quaisquer artefatos pirotécnicos de efeito sonoro ruidoso no município. A proposta foi protocolada na Câmara Municipal nesta sexta-feira (25). De acordo com dados do Ministério da Saúde, 4.577 pessoas foram internadas no país para tratamento por acidentes com fogos de artifício, entre 2008 e 2016.Além de representar risco às pessoas, os fogos de artifício também são potencial ameaça para os animais. A queima de artifícios e artefatos pirotécnicos causa traumas irreversíveis nos bichos, especialmente aqueles que trazem alguma sensibilidade auditiva. A poluição sonora causada ainda provoca perturbação de pacientes em hospitais e clínicas. O ruído provocado pela queima dos fogos pode ultrapassar 125dB, o que equivale ao som de um avião a jato, muito acima do suportável. “A poluição sonora é considerada uma das formas mais graves de agressão ao homem e ao meio ambiente, sendo um sério problema de saúde pública. Já combatemos este problema de maneira constante por meio da Operação Sono Tranquilo e agora vamos atuar em uma nova frente, visando a garantia do sossego público e também a segurança da população”, afirmou o prefeito Paulo Serra.A proibição prevista no projeto de lei vale para áreas públicas e locais privados, em recintos abertos ou fechados. A multa para quem infringir a legislação será de 500 FMPs, o que equivale hoje a R$ 1926,35. Em caso de reincidência, dentro de um prazo de 30 dias, o valor da multa será dobrado.

Aguardando palavras...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais