Segundo Turno da Reforma da Previdência 2019 após dia 21

Segundo Turno da Reforma da Previdência 2019 após dia 21: Com uma Agenda fechada por vários líderes partidários que previa uma votação do Segundo Turno para já o próximo dia 10/10/2019, porém o próprio líder do governo, no entanto, evitou cravar uma data.

Segundo Turno da Reforma da Previdência 2019 após dia 21

“Chance zero de votar antes”, disse.

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), um dos vice-líderes do governo no Senado, afirmou que a votação da reforma da Previdência 2019 ou Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro em segundo turno vai ficar somente para o dia 22 de outubro de 2019 ou ainda depois dessa data.

Calendário Fechado por Líderes Partidários

O calendário fechado por líderes partidários previa a votação do segundo turno para o próximo dia 10. Mas, segundo Rodrigues, as próximas duas semanas serão mais esvaziadas no Senado.

Ele lembra que um grupo de parlamentares viajará a Roma para a canonização de Irmã Dulce. A cerimônia está marcada para dia 13.

Além dos ruídos no calendário, a votação do segundo turno da reforma da previdência do governo Bolsonaro corre risco diante da preocupação de senadores com a indefinição na divisão dos recursos do megaleilão do petróleo com Estados e municípios. Além disso, há outras demandas, como a liberação de emendas parlamentares.

Chico Rodrigues, no entanto, nega que o problema seja o impasse na negociação política.

“O acordo da cessão onerosa está feito, não se pode criar barganha”, declarou. Ele ainda afastou a possibilidade de a reforma ser ainda mais desidratada no segundo turno.

Até agora, o Senado já retirou R$ 133,2 bilhões da economia da proposta em dez anos.

Líder do Governo na Casa

Segundo Turno da Reforma da Previdência 2019 após dia 21

O líder do governo na Casa, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), evitou se comprometer com uma data. Ele disse que o prazo será definido pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Na quarta-feira, Alcolumbre citou a semana entre 14 e 18 de Setembro 2019 como cenário para o Segundo Turno.

Votação do Primeiro Turno

O Senado concluiu nesta quarta-feira 02/10/2019 o primeiro turno da votação da reforma da Previdência. Os senadores rejeitaram os três destaques (Sugestões de Mudança) que estavam em análise.

O texto-base já havia sido aprovado na noite da terça-feira (1º). Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o texto ainda precisa passar por mais uma votação em plenário, o segundo turno. Para a reforma ser aprovada, deve contar com a aprovação de pelo menos 49 dos 81 senadores.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), marcou a primeira sessão de discussão do segundo turno para esta quinta-feira 03/10/2019. Devem ser feitas três sessões de discussões antes da votação.

Os destaques – que tratavam de idade mínima para mulheres, pensão por morte e aposentadoria especial – eram uma preocupação para o governo, uma vez que poderiam prejudicar a economia prevista para a União com a reforma. Atualmente, a previsão é de R$ 800 bilhões em dez anos.

Segundo uma estimativa da equipe econômica repassada pelo líder do PSL, senador Major Olímpio (PSL-SP), os destaques rejeitados nesta quarta-feira poderiam reduzir a economia em R$ 201,3 bilhões em dez anos.

Outros três Destaques

Outros três destaques foram retirados pelos partidos que os apresentaram e, portanto, nem chegaram a ser votados pelos senadores. Essas modificações teriam impacto de mais R$ 274,7 bilhões.

Para o relator da Previdência no Senado, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), o resultado da votação não foi “ótimo”, mas foi “muito bom”.

“Alcançamos um resultado muito bom. Não é um resultado ótimo, mas como diz o ditado, o ótimo é inimigo do bom”, afirmou Tasso.

Aguardando palavras...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais