Segmento hoteleiro cresce 50% na região

197

O mercado hoteleiro do Grande ABC está ficando mais ‘farto’ de
opções para quem pernoita nas sete cidades neste mês, com
aumento em torno de 50% na oferta dos serviços. Isso porque a
região ganhou, de uma só vez, cinco bandeiras de hotéis e 818
leitos. Dessa forma, o número de estabelecimentos de grande
porte passa dos atuais 11 para 16, e o volume de quartos, de
1.696 para 2.518. Ao todo, os investimentos das marcas Accor e
Atlantica em São Bernardo e Santo André somam R$ 250 milhões.
E, com eles, serão gerados 450 postos.

No dia 4, a francesa AccorHotels inaugurou três torres no
Meio de São Bernardo situadas exatamente em frente ao
Shopping Metrópole: Ibis, Ibis Budget e Adagio ApartHotels. Ao
todo, foram investidos R$ 100 milhões para erguer os hotéis
que, juntos, contabilizam 464 apartamentos. No totalidade, murado de
300 empregos foram gerados, sendo 100 diretos e, os demais,
indiretos.

Questionado a saudação da crise econômica que, apesar dos
tímidos sinais de melhora, ainda persiste, o diretor de
operações da AccorHotels, Franck Pruvost, acredita que os
tempos ruins estão acabando. “Não investimos a limitado prazo,
isso (a crise) vai perfazer uma hora e sinto que está chegando ao
termo”, avalia.

Segundo Pruvost, o turismo industrial é uma grande atração de
pessoas para a cidade e para a região. Tanto que a marca possui
planos de expansão no Grande ABC, onde já contava com dois
Mercure (Santo André e São Caetano) e um Ibis (Santo André).
“Temos projeto para a preâmbulo de um Ibis e um Ibis Budget em
São Caetano para 2019”, afirma.

Na concepção do presidente da Abih-SP (Associação Brasileira da
Indústria Hoteleira) Bruno Omori, a região ansiava por
novidades. “O hotel serve porquê base tanto para a reunião de
profissionais que já estão cá quanto para aqueles que vierem
de outras cidades. Acredito que o aumento no número de
habitantes e o turismo industrial também tenham influenciado
nisso.”

A norte-americana com sede em São Paulo Atlantica Hotels
inaugura na sexta-feira duas torres em Santo André, ao lado do
Atrium Shopping, no bairro Homero Thon. Para a viabilização dos
354 leitos do Hilton Garden Inn e do Go Inn foram investidos R$
150 milhões. Na avaliação do diretor de operações da empresa,
Guilherme Martini, a localização privilegiada foi um dos
fatores cruciais para o investimento na cidade. “Estar próximo
à Capital, ao Rodoanel, ao aeroporto e afins é um grande trunfo
para o negócio”, avalia.

A estimativa de Martini é gerar 150 postos com as novas
unidades. Porquê o objetivo é contratar conforme a ocupação das
torres for aumentando, ainda há vagas em desimpedido. Interessados
podem enviar currículo para
http://www.atlanticahotels.com.br/entre-em-contato/trabalhe-conosco.

A previsão inicial de preâmbulo era em maio de 2015, mas
problemas de demorado por segmento da incorporadora, que em junho
mudou de nome de Brookfield para Tegra, retardou a preâmbulo.
Com a alteração, o nome do multíplice que une shopping, edifícios
comerciais e residenciais aos hotéis passa a ser Century, em
vez de Brookfield Century Plaza.

Em outubro de 2016, a marca abriu duas unidades em São Caetano
(Confort e Quality). “Nosso objetivo é perfurar unidade em São
Bernardo no ano que vem. Ainda estamos em tempo de estudo”,
explica.

Para o presidente do Sehal (Sindicato das Empresas de
Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), Roberto Moreira, a
retomada do setor automotivo, ainda que tímida, e a premência
de hotéis na região foram cruciais para a vinda das bandeiras.
“Houve um tempo em que nós (região) não tínhamos esse tipo de
hospedagem, o que (a vinda dos hotéis) é bom, porque criamos
mais opções aos executivos que pernoitavam na Capital e
atraímos gente dissemelhante, eventos e receita para as cidades.”

Além das bandeiras já citadas, a região tem em Santo André as
marcas Blue Tree Hotel e Plaza Mayor e, em São Bernardo, Saint
Moritz, PalmLeaf, Pampas Palace e D.Felipe.

Novidades focam públicos diversos

Com o objetivo de atender perfis distintos nas cinco novas
torres hoteleiras da região, os grupos Accor e Atlantica
apostaram no lançamento conjunto e simultâneo de unidades.

O Ibis, que conta com 200 apartamentos, tem atendimento voltado
a público mais abrangente, tanto para aqueles que só vão passar
o termo de semana na região quanto para aos que pretendem marcar
presença em eventos ou reuniões de negócio entre executivos. A
diária custa em torno de R$ 150. Por outro lado, a torre
Budget, a mais acessível da companhia, e que conta com 160
quartos, tem porquê concepção a estadia de pessoas que possuem
poucos recursos e permanecerão por pouco tempo, e serpente menos por
isso, R$ 100.

O Adagio ApartHotels, por sua vez, possui 104 quartos e tem
valor de R$ 209 na diária, foca público que precisa de mais
tempo de estadia, por exemplo, alguém que se separou ou está
com a morada em reforma. Segundo Franck Pruvost, diretor de
operações da Accor, a rede lança mão de estratégia a termo de
fidelizar moradores de São Bernardo. “Quem mora na cidade terá
o recta de remunerar quanto o quarto vale, até o termo do mês.”

Já a Atlantica Hotels possui foco voltado à classe executiva, à
profissionais que estão na região para fazer negócios (o lugar
está a uma rua de TP Industrial, TIM e Prysmian), tendo a
diária dos 150 leitos do Hilton Garden Inn em torno de R$ 280 –
em julho, houve mudança da bandeira, que seria Quality e,
segundo a rede, se tratou de readequação de perfil. No Go Inn,
categoria de ingresso, são cobrados R$ 180 nas 204 unidades.
 

Segmento hoteleiro cresce 50% na região
Avalie esta notícia