Sem radares móveis, número de mortes no trânsito cai 20% em Santo André

Avalie esta notícia

Sem radares móveis, número de mortes no trânsito cai 20% em Santo André

Mandetta faz ainda críticas à atual política de prevenção do HIV. “Temos que rever o padrão de comunicação. Essa linguagem claramente não está surtindo efeito”, afirma, sobre o avanço da epidemia entre jovens. Temos muito a mudar na Saúde em Nosso Pais.

O número de óbitos provocados por acidentes de trânsito fechou o ano de 2018 com queda de 20% em Santo André, na confrontação com a quantidade de óbitos registrados em 2017. A redução é resultado de diversas ações adotadas pela Prefeitura em relação à segurança viária, aliadas a campanhas educativas e de conscientização de pedestres, motoristas, motociclistas e ciclistas. As informações são disponibilizadas pelo Infosiga, banco de dados do Governo de São Paulo.”A prevenção e redução dos acidentes em Santo André é um compromisso que assumimos e nos empenhamos em alcançar bons resultados. Retiramos os radares móveis no primeiro ano da nossa gestão, trocando a punição pela educação, e promovemos intervenções que estão garantindo um trânsito mais seguro para a nossa gente”, afirmou o prefeito Paulo Serra.Os números do Infosiga apontam que a grande maioria destas mortes registradas ainda são de pedestres (31), seguido de motociclistas (27) e automóveis (15). Para diminuir ainda mais essas mortes, a Prefeitura mantém um intenso trabalho de manutenção de toda sinalização de trânsito da cidade, com repintura de faixas de pedestres, limpeza de placas, recolocação de placas danificadas, instalação de semáforos, travessias elevadas, entre outras, que atendem a todas as regiões da cidade durante todo o ano.O prefeito Paulo Serra destacou a prestígio da conscientização uma vez que fator para redução no número de óbitos no trânsito. “Seguimos com planejamento focado em Mobilidade Urbana, que reorganiza o fluxo viário, além de trabalhar sinalização de trânsito e campanhas educativas de orientação aos motoristas, pedestres e ciclistas da cidade. Um pacote de ações que já reduziu em 20% as mortes no trânsito”.A Prefeitura promove ainda intervenções do Plano de Ação Imediata de Trânsito (PAIT), que contempla pacote de microintervenções de plebeu dispêndio e realiza alterações no sentido de vias, sinceridade de acessos, além de repintura de sinalização nivelado e vertical.Além disso, campanhas educativas uma vez que a Motociclista Responsável, que espera alertar os condutores das motos sobre práticas seguras para diminuir o número de acidentes, a Pedal com Segurança, que alertou ciclistas sobre o uso correto deste meio de transporte, além de outras ações para que as pessoas não utilizem o celular enquanto dirijam e para os pedestres, que sempre utilizem a filete para realizar a travessia segura.

Foram 45 óbitos em 2017 e 36 em 2018; redução é resultado de diversas medidas de segurança viária e educação de trânsito. O número de óbitos provocados por acidentes de trânsito fechou o ano de 2018 com queda de 20% em Santo André, na comparação com a quantidade de óbitos registrados em 2017. A redução é resultado

Tudo Sobre a cidade de Santo André no grande abc paulista ou São Paulo Guia de Negócios.

Ou leia mais sobre todas as 7 cidades do Grande ABC Paulista.