Sesi-SP vence a Taça Ouro e está de volta à Superliga feminina 2017/18

179

Crédito: Helcio Nagamine/Fiesp

Elas voltaram. Após sofrerem com a baixa da última edição da
Superliga feminina, o time do Sesi-SP voltou à escol do
voleibol brasílico na noite deste sábado (5/08). Jogando no
ginásio do Sesi em Santo André, o time comandado pelo técnico
José Rodolfo Lino, venceu o Renata Valinhos/Country por 3 sets
a 2 (25/20, 25/19, 14/25, 23/25 e 15/8), e ficou com o título
da Taça Ouro 2017 e maquinalmente com a última vaga para a
principal competição vernáculo 2017/18.

Ao vencerem o CWB/Madero, de viradela, por 3 sets a 1 (20/25,
29/27, 26/24 e 25/20), na última quinta-feira (3), o Sesi-SP
somou três pontos na competição e precisava vencer exclusivamente dois
sets para restaurar a vaga perdida no início do ano. E assim
foi feito. Vibrantes e com o espeque da torcida que compareceu ao
ginásio, as meninas da capital paulista imprimiram bom ritmo de
jogo e mostraram o porquê mereciam voltar.

Mesmo com o time de Valinhos abrindo o placar em todas as
parciais, o Sesi-SP conseguiu neutralizar os ataques
adversários e aproveitando muito os contra-ataques com a força da
oposta Neneca e da ponteira Nikolle, conseguiu furar 2 a 0 logo
de faceta, garantindo assim a vaga. Mesmo com a vaga resolvida o
jogo ainda não estava lucro. E o time adversário não se abateu,
foi para cima, brigou e chegou ao empate.

O quinto e último set contagiou o ginásio, que vibrou a cada
ponto e levou o grupo da capitã Pri Heldes e do técnico Lino à
vitória. “Para nós é uma honra jogar no Sesi-SP e poder levá-lo
à Superliga, que é o campeonato que o clube deve estar.
Brigamos muito, sabíamos que seria difícil. A vantagem que
tínhamos de precisar lucrar exclusivamente dois sets aumentou a
pressão. Treinamos muito, e entramos em quadra com muita garra,
e isso fez a diferença hoje”, comentou a levantadora camisa 11.

Para Nikolle, novata na equipe, o início de temporada foi duro,
mas com a conquista da Taça Ouro, o grupo só tem a amadurecer
ainda mais. “Fácil todo mundo sabe que não é, e pudemos notar
isso com base nos jogos, todos muito disputados e com sets
apertados. Foi difícil, mas com o trabalho de todos colhemos o
melhor fruto hoje”, finalizou Nikolle, segunda maior pontuadora
da equipe paulista, atrás exclusivamente da oposta Neneca, que anotou
26 bolas.

O Sesi-SP entrou em quadra com a levantadora Pri Heldes, a
oposta Neneca, as ponteiras Nikolle e Glayce, as centrais Dani
Suco e Marjorie e a líbero Erika Pão. Entraram Jéssica e Iarla.
Enquanto a equipe Renata Valinhos/Country começou com Jéssica,
Fran Lemos, Mari Capovilla, Luciana, Carol, Félix e Stephany.
Entraram Paula, Galon, Julia, Karina e Jú Nogueira.

Sesi-SP vence a Taça Ouro e está de volta à Superliga feminina 2017/18
Avalie esta notícia