Sto.André espera bênçãos federais a projeto viário do BID em janeiro

0
111

A Prefeitura de Santo André, chefiada hoje por Carlos Grana
(PT) e a partir do dia 1º sob comando do ex-vereador Paulo
Serra (PSDB), aguarda para janeiro, conforme sinalização dos
envolvidos nas tratativas, autorização de órgãos federais para
concretizar o curso inicial e efetivo do projeto de obras
viárias de impacto na cidade, financiado com empréstimo do BID
(Banco Interamericano de Desenvolvimento). A instituição
bancária já aprovou, em julho, o programa elaborado pelo Paço,
no valor de crédito de US$ 25 milhões, o equivalente a R$ 81,7
milhões, para construção e recuperação da infraestrutura
urbana.

A STN (Secretaria do Tesouro Pátrio), órgão ligado ao
Ministério da Herdade, já atestou a capacidade de endividamento
da Prefeitura, classificando-a com nota B na graduação. A Pasta do
governo federalista entra porquê fiadora na operação. Com a
tramitação, houve encaminhamento da documentação da
Procuradoria-Universal da Herdade Pátrio ao Senado. Na temporada
atual, restam o crivo último da secretaria e a validação do
processo pela Comissão de Finanças e Orçamento no Congresso. A
partir da publicação do credenciamento, o governo andreense
pode assinar contrato com o BID e penetrar licitação, em módulo
internacional. 

O secretário de Planejamento e de Finanças de Santo André,
Alberto Alves de Souza (PT), pontuou que há informações de
combinação para liberação de recursos da instituição bancária até o
término do mês que vem. “O BID confirmou avanço em janeiro”, frisou
o petista. Sucessor na administração lugar, o ex-secretário de
Mobilidade Urbana Paulo Serra reuniu-se com Dalve Soria,
representante do banco, e realizou encontros em Brasília, entre
eles com o senador Aloysio Nunes (PSDB), para tratar do projecto
após vitória nas urnas – o dirigente deu indicativo de
presteza no caso. “Já existe da STN cronograma de análise do
projeto. Os projetos executivos foram aprovados. Com o avanço,
podemos tirar esse pacote do papel logo no primeiro ano.”

Os valores da modelo representam 30% do projeto global,
fracionado por orientação do BID. Essa primeira temporada do
programa integra três grandes obras, incluindo a melhoria do
interceptação sobre o Rio Tamanduateí e da conexão do município
com o resto da área metropolitana de São Paulo e o Porto de
Santos. Consta na lista o alteamento da Avenida dos Estados, na
profundeza do Viaduto Fortaleza Branco (aproximadamente R$ 40
milhões), no bairro Santa Terezinha; a segunda alça do Viaduto
Antônio Adib Chammas (tapume de R$ 15 milhões), no Núcleo; além
da implantação de corredores de ônibus, também na região
medial.

O projeto, segundo o BID, financiará a construção de quatro
quilômetros de corredores exclusivos de ônibus tipo BRT (Bus
Rapid Transit), o que vai permitir reduzir os tempos de viagem.
A execução de faixas adicionais no Adib Chammas, por exemplo,
estava prevista no projeto original do viaduto, inaugurado em
1981, que tem tapume de um quilômetro de extensão. Serão 25 anos
para amortização da dívida, tendo carência de 66 meses para
começo da quitação.

Sto.André espera bênçãos federais a projeto viário do BID em janeiro
Avalie esta notícia