Sto.André promete 10 creches

0
166

 Com deficit estimado entre 5.000 e 6.000 vagas em creches
na cidade de Santo André, segundo a Prefeitura, a administração
anunciou ontem a construção de dez unidades inicialmente
projetadas pelo governo anterior e que não foram concluídas – a
estimativa é que elas sejam entregues até 2020, com a maior
segmento do investimento vindo do governo federalista.

O prefeito Paulo Serra (PSDB) afirmou que o município recuperou
o credenciamento de cinco projetos junto ao MEC (Ministério da
Educação) – as creches Jardim do Mirone 1, Guaratinguetá 1,
Tamarutaca, Cata Preta e Jorge Bereta. O investimento para a
conclusão destes empreendimentos e também para o restante das
obras que estavam paralisadas é da ordem de R$ 40,2 milhões. Em
contrapartida, o Executivo andreense investirá R$ 22 milhões.
Todas as unidades somarão 3.500 vagas. Atualmente, 8.000
crianças são atendidas em 33 unidades.

O prefeito anterior, Carlos Grana (PT), também contava com
aporte federalista para entregar 16 creches prometidas, mas sem a
vinda do recurso, somente cinco foram concluídas.

Segundo a secretária municipal de Educação, Dinah Zekcer, a
ausência da verba se deu em razão da falta de garantias de
contrapartida da última gestão. Situação esta que, segundo o
atual prefeito, mudou. “Com a recuperação orçamentária de todas
as economias que a cidade está fazendo, temos condição de
firmar compromisso no que diz reverência a contrapartidas”, disse
Serra.

Das cinco creches cujas obras já haviam sido iniciadas, a do
Jardim Santo André é a que está em ritmo mais avançado, com
muro de 67% da construção executadas. As obras desta e da
unidade do Jardim Rina obrigaçãoão ser retomadas em abril, e
entregues no próximo ano.

As outras três, sem data para reinício das construções, são
Jardim Guaratinguetá 2, Cazuza e Jardim Mirone 2. A somente
dois minutos de distância da área que acoitará essa última
unidade mora a autônoma Bianca Carolina Batista, 27 anos.
Apesar da pouca distância, ela precisa caminhar meia hora, por
dois quilômetros, com a filha Manuelly, de 2 meses, nos braços.
“Quando chove, não vou trabalhar para permanecer com ela ou tenho de
gastar verba com ônibus para levá-la.”

A mesma situação é enfrentada por Glacimar dos Santos, 37. Ela
conseguiu uma vaga para o rebento a 20 minutos de onde mora, por
determinação judicial, porém, para meio período. “Preciso
procurar ofício, mas até tenho pânico de arrumar, pois vou
precisar de uma creche em período integral e, sem vaga, não
terei com quem deixá-lo”, lamentou. “Acho uma vergonha ter de
se humilhar por um pouco que é um recta da criança”, concluiu.

 

Uniformes escolares serão entregues a partir de hoje

 

A Prefeitura de Santo André iniciará hoje a entrega de
uniformes escolares de verão para estudantes da rede municipal.

A ação, das quais evento simbólico relatará com a presença do
prefeito Paulo Serra (PSDB), está marcada para as 7h30, na
creche Máximo Mansur, localizada no Parque João Ramalho, e às
16h30 na creche Beth Lobo, na Vila Sá.

“Dentro da nossa possibilidade orçamentária, fizemos esforço
para realizar esta entrega no começo das aulas”, disse Serra.
Ainda segundo o patrão do Executivo, os 33 milénio estudantes da
rede receberão a vestimenta até 15 de março. O kit é formado
por duas camisas polo e par de bermuda.

Já o uniforme de inverno chegará aos alunos em maio. O
investimento para a compra de todas as peças foi de R$ 7
milhões. No entanto, o prefeito afirmou que a administração
terá de arcar com outros R$ 7 milhões, valor da dívida deixada
pela gestão anterior, referente aos uniformes escolares de
2014.

Sto.André promete 10 creches
Avalie esta notícia
Compartilhar