Temporal desculpa transtornos à população de Sto.André e Mauá

0
66

Após dois dias de trégua, moradores do Grande ABC voltaram a
tolerar com os estragos causados pela possante chuva que atingiu a
região na tarde ontem. Desta vez, o temporal resultou no
transbordamento de dois piscinões, em Santo André e Mauá, os
municípios mais atingidos. Juntas, as cidades contabilizaram
dez pontos de alagamentos, além de destelhamento de seis
moradias, queda de seis árvores e de dois muros. A circulação
de trens da Risca 10-Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de
Trens Metropolitanos) ficou paralisada por uma hora.

Em Santo André, onde o volume de chuva registrado pelo Semasa
(Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André)
chegou a 85 milénioímetros – a maior precipitação do mês até o
momento –, balanço da autonomia apontou quatro pontos de
alagamentos. As áreas mais afetadas foram a Vila América, o
Jardim Santo André, o Parque Novo Oratório e trecho da Avenida
dos Estados, próximo à mote com Mauá.

Moradores da Vila América, área com histórico de enchente,
viram suas casas ficarem imundadas após o piscinão do bairro
transbordar, por volta das 17h. “Só escutamos a sirene tocar e
saímos correndo para fora. Quando vimos, a água já estava subida.
Infelizmente, só conseguimos tirar o coche da minha amiga (do
ponto de enchente). O meu nem deu tempo. A água já estava no
teto. É agradecer por estarmos vivas”, relata a farmacêutica
Cleide Siqueira, 45 anos.

Para a aposentada Elizabeth de Padua Futimi, 63, a chuva
registrada ontem trouxe lembranças negativas. Com a lar
imundada, a moradora da Vila América se viu ilhada na própria
lar. “Tenho pavor de chuva. Esse piscinão nunca nos ajuda.
Hoje (ontem) nem caiu aquela chuva possante e já estou presa
dentro de lar há duas horas. Minha sala está inundada. Não sei
mais o que fazer”, desabafa.

O município registrou ainda a queda de três árvores, sendo duas
delas sobre residências.

Em Mauá, o cenário de desespero também foi visto na área
meão da cidade. Segundo a Prefeitura, seis casas foram
destelhadas e três árvores caíram durante o temporal. A área ao
volta do Teatro Municipal ficou alagada após o piscinão do Paço
transbordar. Na Câmara Municipal, carros ficaram submersos.
Também houve a queda de um muro da Ambev, no Sertãozinho.
Funcionários da empresa ficaram ilhados por desculpa da lodo e dos
alagamentos no entorno. Ninguém ficou ferido. Outra queda de
muro foi registrada na Rua Francisco Benedetti, no Jardim
Camila.

TRANSPORTES
O temporal também afetou a circulação de trens da Risca
10-Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens
Metropolitanos) entre as 17h e 18h, impedindo a circulação das
composições entre as estações Capuava e Santo André, e, depois,
entre a paragem andreense até Rio Grande da Serra. Depois disso,
os trens circularam com a velocidade reduzida entre 18h e 19h
em virtude de enchente nos trilhos.
 

Temporal desculpa transtornos à população de Sto.André e Mauá
Avalie esta notícia