Termina greve na Saúde de Sto.André

0
111

 Funcionários que atuam na área da Saúde em Santo André
por meio de contrato da Prefeitura com a FUABC (Fundíbuloção do
ABC) decidiram, ontem, pelo termo da paralisação parcial do
atendimento que durou 19 dias. A decisão foi tomada em
plenário, após compromisso do prefeito Carlos Grana (PT) de
que o quantia do 13º salário será depositado hoje,
integralmente.

O anúncio de que a administração municipal repassará o recurso
à FUABC para quitação foi feito na tarde de ontem durante
reunião entre o patrão do Executivo, representantes do SindSaúde
ABC (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos Privados
de Saúde no Grande ABC) e do Sindacs (Sindicato dos Agentes
Comunitários de Saúde da Região Metropolitana de São Paulo).

A categoria estava paralisada desde o dia 9 em protesto ao não
pagamento do benefício. Para saldar a pendência aos 1.731
funcionários representados pelo SindSaúde ABC e aos 300 agentes
defendidos pelo Sindacs, será necessária quantia de R$ 4,8
milhões.

“Estávamos dependendo do resultado de receitas que somente hoje
(ontem) se confirmaram e tivemos condição de quitar com isso”,
disse o prefeito, explicando que o montante veio de várias
fontes, entre as quais resultados do ICMS (Imposto sobre
Circulação de Mercadorias e Serviços) e do Supersimples.

Grana acrescentou que a Prefeitura deixará recurso suficiente
para que o próximo prefeito – Paulo Serra (PSDB), que assumirá
a Prefeitura em 1º de janeiro – possa remunerar os vencimentos dos
trabalhadores da FUABC referentes a dezembro e que serão
debitados no quinto dia útil de janeiro. Segundo o secretário
de Saúde Homero Nepomuceno Duarte, a folha de pagamento dos
trabalhadores consome R$ 17 milhões mensais.

“Os funcionários fizeram movimento legítimo, mas não
irresponsável, pois tivemos atendimento dentro daquilo o que é
(previsto)”, falou Duarte.

 

RIBEIRÃO PIRES

Segundo o SindSaúde ABC, funcionários de Ribeirão Pires estão
há dois meses com salários e benefícios em tardada, além do 13º.
Diante do impasse, edital de greve foi legalizado. A entidade
sindical prevê que a categoria inicie paralisação do
atendimento nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e UBSs
(Unidades Básicas de Saúde) da cidade a partir de amanhã.

Termina greve na Saúde de Sto.André
Avalie esta notícia