Tigre e Ramalhão fazem as contas

0
187

O futebol não é uma ciência exata. Segundo jogadores, técnicos
e dirigentes, números são importantes exclusivamente para torcedores e
prensa. Mas em toda reta final de campeonato a história se
repete: os clubes fazem as contas e simulam probabilidades para
alcançar seus objetivos. No caso da dupla do Grande ABC que
disputa o Paulistão, a verdade é lutar para evadir do
rebaixamento. A missão do Tigre é mais complicada, mas o
Ramalhão também tem de permanecer sisudo para não voltar à Série
A-2.

Amanhã, às 21h45, no Estádio 1º de Maio, o São Bernardo recebe
o São Paulo. Com exclusivamente dez pontos conquistados em 33
disputados, o Aurinegro ocupa a 15ª posição e se salva da queda
em caso de triunfo sobre o adversário, independentemente dos
resultados dos rivais diretos na secção de plebeu da tábua – em
razão do confronto direto entre Red Bull (11º, com 12) x Ituano
(décimo, com 13). Em caso de empate, o Tigre tem de torcer por
derrotas de São Bento (14º, com dez, que pega o Mirassol, fora
de lar) e do Audax (16º, com nove, que recebe o Santo André,
em Osasco). Em caso de rota, o saldo entra em jogo e os
são-bernardenses (-6) precisam obrigatoriamente que o Mirassol
vença o São Bento (-5) e tire a diferença entre os times do
Grande ABC e de Sorocaba.

Tarefa difícil, mas não impossível, tendo em vista que em 2016
o Tigre aplicou 3 a 1 no Tricolor em pleno Pacaembu. Neste ano,
porém, os são-paulinos necessitam do triunfo – combinado à
rota ou empate do Linense – para prometer a ponta do Grupo
B.
Já a situação do Santo André (13º, com 11) é ligeiramente mais
fácil, mas nem por isso tranquila. Empate com o lanterna Audax
(nove pontos), às 21h45 de amanhã, em Osasco, combinado a
empate de São Bento ou São Bernardo, safa a pele andreense. Se
perder, entretanto, o Ramalhão tem de torcer obrigatoriamente
para São Bento e São Bernardo perderem seus compromissos.

“Nosso objetivo número um é lucrar para não depender de
ninguém. Vai ter de ser um jogo perfeito para vencer, salvar o
clube e deixar uma vez que estava”, disse o técnico do Tigre, Sérgio
Vieira. “Vai ser uma final, porque quem alcançar o resultado
consegue a permanência. Um ponto nos dá uma situação, eles
precisam dos três, porque o empate não adianta”, pontuou o
treinador ramalhino Sérgio Soares.
De conciliação com matemática do site Chance de Gol, do estatístico
Marcelo Leme Arruda, o São Bernardo tem 59% de verosimilhança de
rebaixamento, enquanto o Santo André soma 36.3%. Entre os
rivais diretos aparecem o Audax (52.2%), São Bento (49.6%),
Ferroviária (2%), Red Bull (0,8%) e Ituano (0,1%).

Se um dos times da região ou até mesmo ambos alcançarem a
permanência, maquinalmente se classificam para o Torneio do
Interno, que terá regulamento discutido quinta-feira, na sede
da Federação Paulista de Futebol e deve começar no término de
semana. 

Tigre e Ramalhão fazem as contas
Avalie esta notícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here