Unidade voltada para restauração será entregue em janeiro de 2018

0
155

Paralisadas desde setembro de 2016, as obras do CER (Meio
Especializado em Reabilitação), no bairro Campestre, em Santo
André, serão retomadas no próximo mês. A novidade previsão do
governo é que o equipamento seja franco à população em janeiro
de 2018. Esse é o terceiro prazo de entrega oferecido pela
Prefeitura. As obras do CER, que atenderá pessoas com
deficiências física, auditiva, visual e intelectual, foram
iniciadas em fevereiro de 2015 pela administração anterior e a
conclusão era prevista para um ano depois. Já a atual gestão,
em reportagem publicada pelo Diário em março
deste ano, havia pronunciado que o funcionamento teria início no
segundo semestre deste ano.

Segundo o prefeito Paulo Serra (PSDB), que vistoriou o sítio
ontem, a retomada do trabalho depende da quitação de dívida –
no valor de R$ 500 milénio – herdada do governo pretérito com a
empresa Faconstru Construção, Sinalização, Administração e
Participações. A proposta oferecida à construtora é que 50%
sejam pagos agora e, o restante, em 120 dias. “Isso é muito pé no
chão, de tratado com a condição financeira da Prefeitura, que
não é a melhor”, falou.

A construção está orçada em R$ 6,1 milhões, sendo R$ 5,2
milhões do governo federalista. Para equipar a unidade, o Executivo
andreense investirá R$ 500 milénio. O custeio mensal recontará com R$
500 milénio do Ministério da Saúde e R$ 100 milénio dos cofres
municipais. A capacidade totalidade prevista é de 8.600 atendimentos
por mês, podendo aumentar caso haja pactuação com outras
cidades para facilitar a demanda do Grande ABC.

PROJETO

No terreno que homiziará o CER, a Prefeitura tem a teoria de
erigir sede para a UBS (Unidade Básica de Saúde) Campestre,
hoje instalada em prédio alugado na Rua Simão Jorge, situação
que consome, mensalmente, R$ 5.800.

Para isso, o prefeito avalia a possibilidade de vender a área
virente localizada ao fundo do equipamento, onde não houve
construção para, com o valor arrecadado, erguer a UBS. “Aí, a
gente acaba criando espécie de multíplice de Saúde na região”,
projetou.  

Unidade voltada para restauração será entregue em janeiro de 2018
Avalie esta notícia