fbpx
Início 2016

Arquivos

Existe uma epidemia de Alzheimer?video

Existe uma epidemia de Alzheimer?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/doenca-de-alzheimer/ Segundo a Associação de Alzheimer, entidade americana que divulga anualmente estatísticas sobre a doença, a prevalência, a incidência, a mortalidade e o impacto econômico da doença de Alzheimer continuam a subir a taxas impressionantes. O Alzheimer é uma ameaça diferente de qualquer outra doença, com crescente prevalência, falta de tratamento eficaz e custos enormes. As pesquisas científicas são promissoras, mas precisam de muitos investimentos para encontrar opções de tratamento que efetivamente previnam e tratem a doença.
Qual a diferença entre meningite bacteriana e meningite viral?video

Qual a diferença entre meningite bacteriana e meningite viral?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/meningite/ Meningite é o nome que damos à inflamação da meninge, membrana que recobre o sistema nervoso central. A meningite é uma doença grave, potencialmente fatal, que costuma ser causada por agentes infecciosos, tais como bactérias, vírus e fungos. A meningite bacteriana é a forma mais grave. Esta meningite costuma ser causada pelas bactérias Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenzae ou Neisseria mengitidis. Outras bactérias, como a Listeria monocytogenes, Staphylococcus aureus e Streptococcus do grupo B também podem ser a causa, mas não são tão comuns como as três primeiras citadas. A meningite também pode ser causada por vírus, normalmente da família dos Enterovírus. A meningite viral é menos agressiva que a bacteriana, com taxa de mortalidade bem mais baixa e com resolução espontânea, sem necessidade de tratamento específico, na maioria dos casos.
Vitaminas e antioxidantes podem ajudar no tratamento da esclerose múltipla?video

Vitaminas e antioxidantes podem ajudar no tratamento da esclerose múltipla?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/esclerose-multipla/ Um estudo publicado, em março de 2014, no JAMA Neurology descobriu que um nível mais elevado de vitamina D no organismo possibilitou uma progressão mais lenta da esclerose múltipla e menos lesões novas em pessoas com os primeiros sintomas da doença. Na esclerose múltipla, uma lesão é uma área em que a camada de mielina, que normalmente protege e isola as fibras nervosas, foi danificada. Para aumentar naturalmente os níveis de vitamina D, o paciente com esclerose múltipla pode: 01) Comer alimentos ricos em vitamina D, como peixes, fígado, leite fortificado e cereais fortificados; 02) Tomar sol, sem protetor solar, por cerca de 15 minutos por dia. O corpo pode produzir vitamina D quando a pele é exposta aos raios do sol, mas o excesso de exposição aos raios UV nocivos do sol pode levar ao câncer de pele; 03) Antes de tomar suplementos de vitamina D (ou qualquer outro suplemento), o paciente deve falar com um médico. Isso pode evitar quaisquer interações medicamentosas negativas.
Como é feito o tratamento da epilepsia hoje? Há cura?video

Como é feito o tratamento da epilepsia hoje? Há cura?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/epilepsia/ O tratamento das epilepsias é feito através de medicamentos que evitam as descargas elétricas cerebrais anormais, que são a origem das crises epilépticas. Você deve lembrar que os medicamentos para as crises não tem efeito imediato. Portanto não adianta usar o medicamento só por ocasião das crises ou sem acompanhamento médico. O tratamento costuma ser longo e implica em muita força de vontade do paciente, a fim de ser chegar ao controle das crises. Os medicamentos normalmente necessitam ser ingeridos a cada 8,12 ou 24 horas, dependendo da medicação prescrita. Tomar os medicamentos na quantidade e na hora indicada pelo médico é um dos passos importantes para obter sucesso no tratamento. A consulta periódica ao médico permite que a quantidade de medicamentos seja ajustada à necessidade individual, além de possibilitar a identificação de fatores que possam estar contribuindo para o aumento das crises (fatores desencadeantes), e também para a verificação dos efeitos colaterais que às vezes aparecem com o uso dos medicamentos. Esses efeitos não costumam interferir nas atividades diárias, mas, caso isso ocorra, é necessário a orientação médica.
Qual a indicação precisa da toxina botulínica no tratamento da enxaqueca?video

Qual a indicação precisa da toxina botulínica no tratamento da enxaqueca?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/toxina-botulinica/ Em 2011, as autoridades americanas de saúde, a Food and Drug Administration (FDA), aprovaram a aplicação da toxina botulínica no tratamento da enxaqueca grave. No mesmo ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também aprovou o uso da substância para o mesmo fim no Brasil. Estudos já apontavam a eficiência da substância no combate à enxaqueca, desde 2006, quando um grupo de cientistas de Taiwan revelou que o tratamento com a toxina reduzia a frequência e a intensidade das crises em até 60% dos pacientes testados. Para a nova utilização, os médicos devem injetar a droga no pescoço ou na cabeça do paciente a cada 12 semanas. As injeções da toxina botulínica poderão ser usadas no tratamento da enxaqueca que se caracteriza por dores de cabeças intensas, normalmente agravadas por fatores externos como luz, esforço físico, ruídos e odores. A aplicação da toxina botulínica para o tratamento de dores de cabeça surte efeitos somente em pacientes com enxaqueca crônica. A substância parece não ser relevante no alívio dos sintomas de dores de cabeça menos frequentes ou de cefaleia tensional, o tipo mais comum do problema entre adultos. Essas conclusões foram obtidas após pesquisadores da Faculdade de Medicina de Wisconsin, nos Estados Unidos, analisarem 27 trabalhos sobre o assunto. O estudo foi publicado na revista Journal of the American Medical Association (JAMA).
Quando ocorre a síncope vasovagal?video

Quando ocorre a síncope vasovagal?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/desmaios/ O desmaio é um sintoma relativamente comum. Pode indicar problemas cardíacos, problemas neurológicos, uma queda súbita da pressão arterial, hipoglicemia (falta de açúcar no sangue) ou apenas uma manifestação de excesso de ansiedade ou histeria, também conhecida como transtorno conversivo. O desmaio é cientificamente chamado de síncope e pode ser descrito como uma abrupta perda da consciência, associada à perda do tônus postural (perda da capacidade de permanecer em pé), seguida de uma rápida e completa recuperação. Ou seja, a pessoa perde a consciência e cai, acordando logo a seguir sem sequelas. A síncope não é uma doença, é um sintoma de alguma doença. A causa mais comum é a chamada reação vagal ou síncope vasovagal, relacionada à ativação inapropriada do nervo vago. Uma anormal estimulação do nervo vago pode levar a grandes desacelerações do coração e à uma abrupta queda da pressão arterial, diminuindo temporariamente o aporte de sangue e oxigênio para o cérebro. Esse tipo de desmaio ocorre normalmente em pessoas jovens e sem outras doenças. A síncope vasovagal é normalmente precedida de sintomas como suores frios, palidez e escurecimento súbito da visão.
Como diagnosticar os quatro tipos mais frequentes de demência?video

Como diagnosticar os quatro tipos mais frequentes de demência?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/demencias/ A demência é uma doença mental caracterizada por prejuízo cognitivo que pode incluir alterações de memória, desorientação em relação ao tempo e ao espaço, raciocínio, concentração, aprendizado, realização de tarefas complexas, julgamento, linguagem e habilidades visuais-espaciais. Essas alterações podem ser acompanhadas por mudanças no comportamento ou na personalidade (sintomas neuropsiquiátricos). Os prejuízos, necessariamente, interferem com a habilidade no trabalho ou nas atividades usuais, representam declínio em relação a níveis prévios de funcionamento e desempenho e não são explicáveis por outras doenças físicas ou psiquiátricas. Muitas doenças podem causar um quadro de demência. Entre as várias causas conhecidas, a Doença de Alzheimer é a mais frequente.
Como eu suspeito que estou tendo um AVC? Como devo proceder?video

Como eu suspeito que estou tendo um AVC? Como devo proceder?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/avc/ Se você notar o início súbito de qualquer um dos sintomas abaixo: 01) Fraqueza ou formigamento na face, no braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo; 02) Confusão, alteração da fala ou compreensão; 03) Alteração na visão (em um ou ambos os olhos); 04) Alteração do equilíbrio, coordenação , tontura ou alteração no andar; 05) Dor de cabeça súbita, intensa, sem causa aparente. Se você ou alguém que você conhece estiver com um destes sintomas – NÃO ESPERE MELHORAR!!! CORRA!!! Cada segundo é importante. LIGUE imediatamente para o número 192 (SAMU), ou para o serviço de ambulância de emergência da sua cidade, para que possam enviar o atendimento a você.
Não há cura para o Alzheimer, quais são as opções terapêuticas disponíveis?video

Não há cura para o Alzheimer, quais são as opções terapêuticas disponíveis?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/doenca-de-alzheimer/ O tratamento da Doença de Alzheimer engloba cuidados farmacológicos e não farmacológicos. Os medicamentos devem ser administrados conforme a prescrição do médico ou da equipe responsável. O tratamento do paciente deve ser interdisciplinar, envolvendo diferentes profissionais, como psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, sempre com o objetivo de retardar o avanço da doença e de melhorar a qualidade de vida do paciente, da família e do cuidador.
Como é feito o diagnóstico e o tratamento da miastenia gravis?video

Como é feito o diagnóstico e o tratamento da miastenia gravis?

https://www.willianrezende.com.br/category/noticias/miastenia-gravis/ O ponto chave para o diagnóstico de miastenia grave é a presença de fraqueza muscular que aumenta com o esforço e diminui com o repouso. Alguns testes podem confirmar a presença da doença. Tratamentos permitem o controle da doença na maioria dos casos. Embora não haja cura para miastenia gravis, a maioria dos tipos da doença pode ser tratada com orientação médica adequada. Não deixe de consultar seu neurologista.