Exame Neurológico

Exame Neurológico: Se por um acaso existir a Suspeita de um Transtorno Neurológico, o Médico Neurologista avalia por Exame Físico todos os sistemas do organismo, concentrando-se no sistema nervoso.

Exame Neurológico

Exame Neurológico, que o Médico Neurologista solicita: A avaliação do Sistema Nervoso — o Exame Neurológico. Procure sempre uma Clínica Neurológica SP.

Conheça os Exames de Eletroneuromiografia e Doppler Transcraniano.

Inclui a avaliação do seguinte:

  • Estado Mental
    • O Exame do estado mental (EEM) é o processo através do qual o profissional que trabalha com saúde mental (geralmente psiquiatras e psicólogos) examina sistematicamente o estado mental de um paciente.
  • Nervos Cranianos
    • Nervos cranianos são os que fazem conexão com o encéfalo. Os 12 pares de nervos cranianos recebem uma nomenclatura específica, sendo numerados em algarismos romanos, de acordo com a sua origem aparente, no sentido rostrocaudal.
  • Nervos Motores
    • Nervo motor é o nervo que envia, primariamente, a mensagem ao músculo para que haja contração excitação. O neurônio motor (ou motoneurônio) recebe um impulso nervoso, que é um estimulo elétrico, através dos dendritos que passa para o corpo celular do neurônio.
  • Nervos Sensitivos
    • Nervos sensitivos são os que contêm somente fibras sensitivas, que conduzem impulsos dos órgãos sensitivos para o sistema nervoso central. Nervos motores são os que contêm somente fibras motoras, que conduzem impulsos do sistema nervoso central até os órgãos efetuadores (músculos ou glândulas).

Exame Neurológico

  • Reflexos
  • Coordenação e
    • Equilíbrio
  • Caminhar
    • Marcha
  • Regulação dos Processos Internos do Corpo
    • pelo sistema nervoso autônomo
  • Fluxo Sanguíneo para o Cérebro

Os médicos Neurologistas ou Neuropediatras ou até os Neurologista Infantil podem avaliar algumas áreas mais minuciosamente do que outras dependendo do tipo de doença de que se suspeita.

O exame neurológico também pode ajudar a identificar a causa de um mau funcionamento muscular (como Fraqueza ou Paralisia), uma vez que a contração muscular normal depende da estimulação por um nervo (Usar o Cérebro para Mover um Músculo).

Um exame neurológico diferencia-se de um exame psiquiátrico, posto que o último centra-se na avaliação do comportamento do indivíduo.

No entanto, os dois exames se sobrepõem um pouco uma vez que anormalidades no Cérebro podem causar comportamentos anormais. O comportamento anormal pode ser uma pista para um problema físico no cérebro. Quando Devo ver um Neurologista?

Estado Mental

Os médicos avaliam os seguintes itens:

  • Atenção,
  • Orientação quanto ao
    • Tempo,
    • Local e
    • Indivíduo,
  • Memória,
  • Diversas habilidades, como
    • Pensar de Forma Abstrata,
    • Seguir Instruções,
    • Usar a Linguagem e
    • Resolver Problemas Matemáticos.
  • Humor

A avaliação consiste em responder a uma série de perguntas e realizar algumas tarefas, como nomear objetos, decorar listas curtas, escrever algumas frases e copiar formas. As respostas são registradas e sua precisão, classificada.

Se a pessoa afirmar sentir-se deprimida, o médico pergunta se já teve pensamentos suicidas.

Nervos Cranianos

Há 12 (doze) pares de Nervos Cranianos, que conectam os Olhos, Ouvidos, Nariz, Face, Língua, Garganta, Pescoço, ombros e alguns órgãos internos ao encéfalo.

O número de nervos testados pelo médico depende do tipo de doença de que se suspeita.

Por exemplo, o 1º nervo craniano (Nervo do Olfato) não costuma ser testado quando há a suspeita de um problema muscular, mas é testado em pessoas se recuperando de trauma craniano grave (porque muitas vezes perde-se o olfato).

Um nervo craniano pode ser lesionado em qualquer lugar ao longo de seu comprimento como resultado de qualquer um dos seguintes:

  • Uma Lesão,
  • Fluxo sanguíneo comprometido,
  • Uma doença autoimune,
  • Um tumor,
  • Uma infecção.

O local exato da lesão pode muitas vezes ser identificado ao testar as funções de um nervo craniano específico.

Nervos Motores

Os nervos motores transportam impulsos do encéfalo até os músculos voluntários (músculos controlados por um esforço consciente), como os músculos dos braços e das pernas.

A fraqueza ou paralisia de um músculo pode indicar lesão no músculo em questão, no nervo motor, na conexão entre nervo e músculo (junção neuromuscular), no cérebro ou na medula espinhal.

Os médicos procuram anormalidades como as seguintes:

  • Uma redução no tamanho do músculo,
    • Desgaste, ou
    • Atrofia
  • Um Aumento no Tamanho do Músculo,
  • Tremor,
    • Agitação Rítmica de uma parte do Corpo) e
    • outros movimentos musculares não pretendidos
      • Involuntários,
  • Espasmos Musculares,
  • Um aumento,
    • Espasticidade ou
    • Rigidez ou
    • Diminuição do Tônus Muscular,
  • Fraqueza, especialmente quais partes do corpo são afetadas,
    • Padrão de Fraqueza,
  • Perda de destreza,
    • a Capacidade de utilizar as mãos com
      • Habilidade e
      • Agilidade
  • O médico inspeciona o tamanho dos
    • Músculos,
    • Movimentos Incomuns,
    • Tônus,
    • Força e
    • Destreza.

Alteração no Tamanho do Músculo

O Músculo se Desgasta (atrofia) quando ele ou os nervos que o servem sofrem alguma lesão, ou quando o músculo não é usado por meses por qualquer outro motivo (como uso de gesso).

Um Músculo pode aumentar de Tamanho (Hipertrofia Muscular), porque está trabalhando mais para compensar a fraqueza de outro músculo. Saiba mais sobre o Neurocirurgião.

Os músculos podem aumentar o tamanho quando o tecido muscular normal é substituído por tecido anormal, como ocorre na amiloidose e algumas doenças musculares hereditárias (como a distrofia muscular de Duchenne).

O tecido anormal aumenta o tamanho aparente, mas não a força do músculo.

Movimentos Involuntários

Os músculos podem se mover sem que o indivíduo o pretenda (involuntariamente).

Os seguintes são exemplos de movimentos involuntários:

  • Fasciculação são pequenas e sutis contrações musculares, que podem parecer ondulações sob a pele. A fasciculação pode indicar uma lesão no nervo ao músculo afetado.
  • Mioclonia refere-se a movimentos repentinos (contrações) de um músculo ou um grupo de músculos, como os da mão, braço ou perna. Os músculos movem-se como se a pessoa tivesse acabado de receber um choque elétrico. A mioclonia pode ocorrer normalmente, como quando as pessoas estão adormecendo, ou pode ser causada por uma doença que afeta a medula espinhal ou cérebro.
  • Tiques são movimentos involuntários rápidos, sem propósito, repetitivos, mas não rítmicos, como piscar ou sacudir a cabeça. Os tiques frequentemente também incluem sons involuntários, abruptos, muitas vezes repetitivos e/ou palavras.
  • O hemibalismo geralmente envolve estiramentos involuntários e violentos de um braço e/ou perna.
  • A coreia refere-se a movimentos involuntários nervosos rápidos que começam em uma parte do corpo e frequentemente movem-se de modo abrupto e imprevisível para outra parte.
  • Atetose refere-se a movimentos involuntários lentos, contínuos e contorcidos.
  • Distonia refere-se a contrações musculares involuntárias de longa duração (sustentadas) que podem forçar as pessoas a posições anormais, por vezes dolorosas.
  • Movimentos involuntários podem indicar lesão nas áreas do cérebro (gânglios basais) que controlam a coordenação motora.

Tônus Muscular

Para avaliar o tônus muscular, os médicos primeiro pedem ao indivíduo que relaxe completamente os músculos de um membro. Em seguida, o médico move o membro do indivíduo para determinar o nível de resistência involuntária (chamado tônus muscular) do músculo relaxado ao ser movimentado.

Como o tônus muscular reage a ser movido sugere possíveis causas, conforme o seguinte:

  • o tônus muscular desigual aumenta subitamente quando o músculo relaxado é movimentado (espasticidade):
    • possivelmente devido a um acidente vascular cerebral ou lesão da medula espinhal
  • Tônus muscular uniformemente aumentado:
    • Possivelmente devido a uma Doença dos gânglios basais, como a
      • Doença de Parkinson
      • Mal de Parkinson
  • Tônus muscular consideravelmente reduzido (flacidez):
    • Possivelmente, devido a uma doença dos nervos fora do cérebro e da medula espinhal (nervos periféricos), como uma
      • Polineuropatia (uma doença que afeta diversos nervos por todo o corpo)
  • Flacidez pode estar presente por um curto período de tempo após uma lesão que causa paralisia, como uma lesão da medula espinhal.
    • Quando a flacidez é um resultado de tal lesão na medula espinhal, o tônus muscular muitas vezes aumenta gradualmente ao longo de dias a semanas, resultando em espasticidade.

Se o indivíduo tiver medo ou estiver confuso durante o exame, ele pode não conseguir relaxar os músculos. Nesses casos, o tônus muscular pode variar, dificultando a avaliação médica.

Força Muscular

Os médicos testam a força muscular pedindo ao indivíduo que empurre ou puxe contra uma resistência, ou que faça movimentos que exijam força, como caminhar sobre os calcanhares e nas pontas dos pés ou se levantar de uma cadeira. Os médicos, em seguida, avaliam a Força Muscular de

  • 0 (zero) (sem contração muscular) a
  • 5 (cinco) (força total).

Algumas vezes a fraqueza é evidente quando a pessoa utiliza mais um membro do que o outro.

Por exemplo, uma pessoa destra pode realizar gestos principalmente com a mão esquerda durante uma conversa. Um braço fraco pode balançar menos ao caminhar ou retornar para baixo quando os braços estão levantados e os olhos estão fechados.

Saber quais partes do corpo são fracas (padrão de fraqueza) pode ajudar o médico a identificar qual é o problema, como nos seguintes casos:

  • os ombros e os quadris são mais fracos do que as mãos e os pés:
    • A causa pode ser uma doença que afeta os músculos (miopatia). As miopatias tendem a afetar primeiro os músculos maiores. As pessoas podem ter dificuldade em levantar seus braços para pentear o cabelo, subir escadas ou levantar de uma posição sentada.
  • As mãos e os pés são mais fracos do que os ombros, braços e as coxas:
    • O problema é frequentemente uma polineuropatia (a disfunção de vários nervos periféricos pelo corpo).
  • As polineuropatias tendem a afetar primeiro os nervos mais longos (que passam pelas mãos e pelos pés). As pessoas podem apresentar uma força de preensão baixa e ter problemas com movimentos finos dos dedos (destreza). As pessoas podem ter dificuldade em apertar um botão, abrir um pino de segurança ou amarrar seus sapatos.
  • A fraqueza se limita a um lado do corpo:
  • A fraqueza ocorre abaixo de um determinado nível do corpo:
    • A causa pode ser uma doença que afeta a medula espinhal. Por exemplo, uma lesão na parte da coluna no tórax (coluna torácica) causa paralisia das pernas, mas não dos braços. Uma lesão no pescoço ou acima dele causa paralisia dos quatro membros.

Também pode ocorrer fraqueza em outros padrões, como os seguintes:

Ocorre fraqueza em apenas uma área relativamente pequena: Esse tipo de fraqueza sugere que apenas um ou poucos nervos periféricos sofreram lesão.

Em tais casos, a fraqueza também pode comprometer a destreza.

A fraqueza se torna aparente somente quando os músculos que estão sendo usados para a mesma tarefa com muita frequência tornam-se fracos mais rapidamente do que o normal.

Por exemplo, uma pessoa que antes conseguia utilizar, adequadamente, um martelo, sente-se fraca depois de martelar durante vários minutos.

Miastenia grave pode causar esse tipo de fraqueza

Aguardando palavras...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais