Marca de 200 mil exames de Covid-19 realizados – Medicina ABC

Marca de 200 mil exames de Covid-19 realizados – Medicina ABC: Segundo levantamento da unidade de Análises Clínicas da FMABC, meses de novembro e dezembro foram os mais críticos da pandemia, com mais de 40% de positividade para as amostras analisadas

Marca de 200 mil exames de Covid-19 realizados – Medicina ABC

O Laboratório de Análises Clínicas do Centro Universitário Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) atingiu neste fevereiro a marca de 200 mil exames de Covid-19 realizados. Instalada no campus universitário em Santo André (SP), a unidade deu início em março de 2020 aos testes para detecção do novo coronavírus, atuando em parceria com as cidades de São Bernardo e São Caetano. No mês seguinte, o Instituto Adolfo Lutz credenciou o laboratório do ABC, dispensando os resultados de contraprova. Desde então, municípios de diversas partes do Estado passaram a contar com o serviço para suprir a grande demanda por testes.

Atualmente são analisados cerca de 30.000 exames por mês, sendo 65% do tipo RT-PCR e 35% de sorologia (teste rápido, ELISA e eletroquimioluminescência). Desde o início da pandemia, 10 cidades já estabeleceram convênios com o Centro Universitário FMABC para exames de Covid-19: Santo André, Ribeirão Pires, Mauá, Cajamar, Caieiras, Franco da Rocha, Francisco Morato e Mairiporã, além de São Bernardo e São Caetano. A parceria mais recente foi firmada em novembro com o Contrato de Gestão São Mateus, da Fundação do ABC, para atendimento à rede assistencial localizada na Zona Leste da Capital.

 

POSITIVIDADE DOS CASOS

De acordo com o vice-reitor e coordenador do Laboratório de Análises Clínicas da FMABC, Dr. Fernando Luiz Affonso Fonseca, os meses de novembro e dezembro foram os mais críticos da pandemia. “Entre maio e junho, recebíamos amostras de famílias inteiras positivas para a doença. Era algo assustador e a positividade dos casos no Laboratório chegou a 40% nessa época. Com o passar do tempo, os índices foram caindo em sintonia com o aumento das medidas de isolamento social, atingindo taxas de 20% em setembro e outubro”, recorda.

Entre maio e junho, recebíamos amostras de famílias inteiras positivas para a doença. Era algo assustador e a positividade dos casos no Laboratório chegou a 40% nessa época. Com o passar do tempo, os índices foram caindo em sintonia com o aumento das medidas de isolamento social, atingindo taxas de 20% em setembro e outubro

 

Porém, a chegada do final do ano e o relaxamento das medidas preventivas pela população fez com que os números decolassem novamente. “A positividade teve aumento expressivo em novembro e dezembro, superando 41% das amostras que analisamos. Em alguns dias, as coletas de São Mateus chegaram a 60% de positividade, enquanto em Mauá passaram de 80%”.

 

PAPEL SOCIAL

Ratificando seu papel social, desde julho de 2020 o Laboratório mantém parceria com o Governo do Estado para realização de exames sem custos adicionais. “Fomos procurados pelo Estado e aceitamos ajudar. O volume de testes era muito grande e passamos a receber as amostras e os reagentes aqui na FMABC. Analisamos cerca de 300 exames por dia encaminhados pelo Instituto Adolfo Lutz e emitimos os resultados em no máximo 48 horas”, detalha Fonseca.

 

Ao todo, o Laboratório de Análises Clínicas do Centro Universitário FMABC contabilizou 580 mil exames em janeiro de 2021, sendo aproximadamente 30.000 de Covid-19. São 350 funcionários diretos atuando no local. “O trabalho de Análises Clínicas é fundamental no combate à pandemia, não somente para o diagnóstico da doença, mas também para o monitoramento dos pacientes internados, que seguem realizando exames periódicos para verificação da carga viral”, explica o vice-reitor.

 

METODOLOGIA PRÓPRIA

Marca de 200 mil exames de Covid-19 realizados - Medicina ABC
Marca de 200 mil exames de Covid-19 realizados – Medicina ABC

A equipe do Laboratório da FMABC iniciou em janeiro de 2020 a padronização de metodologia própria para exames de RT-PCR e enviou o pedido de credenciamento ao Instituto Adolfo Lutz, que avaliou o protocolo utilizado, a condução da reação, a coleta das amostras e a forma como é feita a extração do material genético-viral. O processo foi aprovado e o Centro Universitário passou a realizar, em março do ano passado, exames para São Caetano e São Bernardo, cujos resultados positivos ainda eram enviados para contraprova no próprio Adolfo Lutz. Posteriormente, em abril, o credenciamento foi publicado no Diário Oficial. Desde então, os casos positivos são notificados diretamente à Secretaria de Estado da Saúde, sem necessidade de contraprova. Já os testes sorológicos – modalidade que inclui os testes rápidos – começaram em abril de 2020.

Além do Dr. Fernando Fonseca, integram a equipe responsável pelo projeto os pesquisadores Aleksandra Sant´Anna, Claudia de Oliveira, Thaís Moura Gascón, Beatriz Alves, Glaucia Luciano, Matheus Perez, Katharyna Gois e Marina Peres.

 

Informações à Imprensa com Eduardo Nascimento

Comunicação Fundação do ABC

(11) 2666-5430

www.fuabc.org.br – www.fmabc.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies