Osteoporose: Quedas e Fraturas Ósseas podem estar Relacionadas

Quedas e Fraturas Ósseas podem estar Relacionadas à Osteoporose:  Dia Mundial e Nacional da Osteoporose (20/10) reforça importância da prevenção da doença, que atinge 10 milhões de brasileiros

Quedas e Fraturas Ósseas podem estar Relacionadas à Osteoporose

 

20 de Outubro! Em 20 de outubro comemora-se o Dia Mundial e Nacional da Osteoporose.

Trata-se de oportunidade para divulgar informações sobre doença, que é extremamente prevalente na população e que deve ser prevenida desde a infância. Estima-se que cerca de 10 milhões de brasileiros sejam acometidos pela osteoporose, uma doença crônica e progressiva bastante comum a partir dos 50 anos de idade.

Tem como característica marcante a perda de massa óssea, que acarreta no comprometimento da força dos ossos e, consequentemente, na maior predisposição a fraturas.

 

Osteoporose atinge tanto Homens quanto Mulheres

 

De maneira geral, boa parte da população cursa com redução discreta de massa óssea por volta dos 40 anos de idade. Já as mulheres na pós-menopausa, em função da perda do estrogênio, podem sofrer com a diminuição mais acentuada de massa óssea, desencadeando a osteoporose. Estima-se que aproximadamente 30% das brasileiras apresentem a doença nesse período

A osteoporose atinge tanto homens quanto mulheres. No entanto, um dos públicos mais atingidos é o feminino, após a menopausa. “De maneira geral, boa parte da população cursa com redução discreta de massa óssea por volta dos 40 anos de idade. Já as mulheres na pós-menopausa, em função da perda do estrogênio, podem sofrer com a diminuição mais acentuada de massa óssea, desencadeando a osteoporose. Estima-se que aproximadamente 30% das brasileiras apresentem a doença nesse período”, calcula a médica reumatologista do Hospital Estadual Mário Covas e pesquisadora do Centro Multidisciplinar de Estudos Clínicos (CEMEC), Dra. Anna Maura Fernandes.

 

Para prevenir o problema é preciso manter um estilo de vida saudável, com alimentação balanceada – preferencialmente com itens ricos em cálcio – e prática regular de atividades físicas. Também é necessário tomar sol diariamente por cerca de 15 minutos para estimular a produção de vitamina D, cuja função principal é contribuir na absorção de cálcio pelo organismo. Deve-se evitar o horário entre 10h e 16h, quando há maior incidência de raios ultravioletas, a fim de prevenir o câncer de pele.

 

Ferramentas Diagnósticas para Osteoporose

 

Caso o paciente apresente fatores de risco, o exame pode ser feito a partir dos 50 anos

Entre as ferramentas diagnósticas para osteoporose, a densitometria óssea é considerada o principal exame a ser realizado. “Caso o paciente apresente fatores de risco, o exame pode ser feito a partir dos 50 anos”, informa Dra. Anna Maura Fernandes, que explica: “A densitometria identifica precocemente a perda de massa óssea e permite que o médico acompanhe de perto o estágio da doença e os riscos de fraturas”.

Dra Anna Maura Fernandes

A densitometria identifica precocemente a perda de massa óssea e permite que o médico acompanhe de perto o estágio da doença e os riscos de fraturas

 

A especialista também ressalta a importância de manter em dia o acompanhamento médico de rotina e os exames preventivos, a fim de suspeitar da doença logo no início e começar o tratamento precocemente, evitando quedas e fraturas ósseas.

 

Visão Geral

 

A osteoporose faz com que os ossos fiquem fracos e quebradiços – tão quebradiços que uma queda ou mesmo tensões leves, como curvar-se ou tossir, podem causar uma fratura. As fraturas relacionadas à osteoporose ocorrem mais comumente no quadril, pulso ou coluna.

O osso é tecido vivo que está sendo constantemente quebrado e substituído. A osteoporose ocorre quando a criação de um novo osso não acompanha a perda do osso velho.

A osteoporose afeta homens e mulheres de todas as raças. Mas as mulheres brancas e asiáticas, especialmente as mulheres mais velhas que já passaram da menopausa, correm o maior risco. Medicamentos, dieta saudável e exercícios que suportam o peso podem ajudar a prevenir a perda óssea ou fortalecer os ossos já fracos.

 

Sintomas

 

Normalmente não há sintomas nos estágios iniciais da perda óssea. Mas uma vez que seus ossos tenham sido enfraquecidos pela osteoporose, você pode ter sinais e sintomas que incluem:

  • Dor nas costas, causada por uma vértebra fraturada ou colapsada
  • Perda de altura ao longo do tempo
  • Uma postura inclinada
  • Um osso que se parte muito mais facilmente do que o esperado

Quando consultar um médico

Você pode querer falar com seu médico sobre osteoporose se você passou pela menopausa precoce ou tomou corticosteróides durante vários meses de cada vez, ou se algum de seus pais teve fraturas no quadril.

É preciso retirar a prótese para tratar infecções nos ossos?

Causas

 

Seus ossos estão em um estado constante de renovação – osso novo é feito e osso velho é quebrado. Quando você é jovem, seu corpo faz o osso novo mais rápido do que quebra o osso velho e sua massa óssea aumenta. Depois dos primeiros 20 anos, este processo abranda e a maioria das pessoas atinge seu pico de massa óssea aos 30 anos de idade. Conforme as pessoas envelhecem, a massa óssea se perde mais rápido do que é criado.

A probabilidade de você desenvolver osteoporose depende em parte de quanta massa óssea você atingiu em sua juventude. O pico de massa óssea é em parte herdado e varia também por grupo étnico. Quanto maior o pico de massa óssea, mais osso você tem “no banco” e menor a probabilidade de desenvolver osteoporose à medida que você envelhece.

 

Fatores de Risco

 

Vários fatores podem aumentar a probabilidade de você desenvolver osteoporose – incluindo sua idade, raça, opções de estilo de vida e condições e tratamentos médicos.

Riscos Imutáveis

Alguns fatores de risco para osteoporose estão fora de seu controle, inclusive:

  • Seu sexo
    • As mulheres são muito mais propensas a desenvolver osteoporose do que os homens.
  • Idade
    • Quanto mais velho você ficar, maior será seu risco de osteoporose.
  • Raça
    • Você corre o maior risco de osteoporose se for branco ou de ascendência asiática.
  • História da família
    • Ter um pai ou irmão com osteoporose coloca você em maior risco, especialmente se sua mãe ou seu pai fraturou um quadril.
  • Tamanho da moldura corporal
    • Homens e mulheres que têm estruturas corporais pequenas tendem a ter um risco maior, pois podem ter menos massa óssea para retirar à medida que envelhecem.

 

Níveis de Hormônios

 

A osteoporose é mais comum em pessoas que têm muito ou muito pouco de certos hormônios em seus corpos. Exemplos incluem:

 

  • Os hormônios sexuais
    • Níveis mais baixos de hormônios sexuais tendem a enfraquecer os ossos. A queda nos níveis de estrogênio nas mulheres na menopausa é um dos fatores de risco mais fortes para o desenvolvimento da osteoporose. Os tratamentos para o câncer de próstata que reduzem os níveis de testosterona nos homens e os tratamentos para o câncer de mama que reduzem os níveis de estrogênio nas mulheres são susceptíveis de acelerar a perda óssea.
  • Problemas de tireóide
    • Demasiado hormônio da tireóide pode causar perda óssea. Isto pode ocorrer se sua tireóide estiver hiperativa ou se você tomar muita medicação hormonal para tratar uma tireóide subativa.
  • Outras glândulas
    • A osteoporose também tem sido associada à paratireóide hiperativa e às glândulas supra-renais.

 

Fatores Dietéticos

 

É mais provável que a osteoporose ocorra em pessoas que têm:

 

  • Baixa ingestão de cálcio
    • A falta de cálcio para toda a vida desempenha um papel no desenvolvimento da osteoporose. A baixa ingestão de cálcio contribui para a diminuição da densidade óssea, perda óssea precoce e um maior risco de fraturas.
  • Distúrbios alimentares
    • A restrição severa da ingestão de alimentos e o baixo peso enfraquecem o osso tanto em homens quanto em mulheres.
  • Cirurgia gastrointestinal
    • A cirurgia para reduzir o tamanho do estômago ou para remover parte do intestino limita a quantidade de superfície disponível para absorver nutrientes, incluindo cálcio. Estas cirurgias incluem aquelas para ajudá-lo a perder peso e para outros distúrbios gastrointestinais.

 

Esteróides e Outros Medicamentos

Osteoporose Sbem Sp

O uso a longo prazo de medicamentos corticosteróides orais ou injetados, tais como prednisona e cortisona, interfere no processo de reconstrução óssea. A osteoporose também tem sido associada a medicamentos usados para combater ou prevenir:

  • Apreensões
  • Refluxo gástrico
  • Câncer
  • Rejeição do transplante
  • Condições médicas

O risco de osteoporose é maior em pessoas que têm certos problemas médicos, inclusive:

  • Doença celíaca
  • Doença inflamatória intestinal
  • Doença renal ou hepática
  • Câncer
  • Mieloma múltiplo
  • Artrite reumatóide

 

Escolhas de Estilo de Vida

 

Alguns maus hábitos podem aumentar seu risco de osteoporose. Exemplos incluem:

 

  • Estilo de vida sedentário
    • Pessoas que passam muito tempo sentadas têm um risco maior de osteoporose do que aquelas que são mais ativas. Qualquer exercício e atividades que promovam equilíbrio e boa postura são benéficas para seus ossos, mas caminhar, correr, saltar, dançar e levantar peso parecem ser particularmente úteis.
  • O consumo excessivo de álcool
    • O consumo regular de mais de duas bebidas alcoólicas por dia aumenta o risco de osteoporose.
      Consumo de tabaco. O papel exato que o tabaco desempenha na osteoporose não é claro, mas foi demonstrado que o tabagismo contribui para a fraqueza dos ossos.

 

Complicações

 

As fraturas ósseas, particularmente na coluna vertebral ou no quadril, são as complicações mais graves da osteoporose. As fraturas do quadril são freqüentemente causadas por uma queda e podem resultar em incapacidade e até mesmo em um aumento do risco de morte no primeiro ano após a lesão.

Em alguns casos, as fraturas da coluna podem ocorrer mesmo que não tenham caído. Os ossos que compõem sua coluna vertebral (vértebras) podem enfraquecer a ponto de colapsar, o que pode resultar em dor nas costas, perda de altura e postura avançada.

 

Prevenção

Uma boa nutrição e exercícios regulares são essenciais para manter seus ossos saudáveis ao longo de sua vida.

 

Cálcio

 

Homens e mulheres entre 18 e 50 anos de idade precisam de 1.000 miligramas de cálcio por dia. Esta quantidade diária aumenta para 1.200 miligramas quando as mulheres completam 50 anos e os homens 70.

Boas fontes de cálcio incluem:

  • Produtos lácteos com baixo teor de gordura
  • Vegetais de folhas verdes escuras
  • Salmão enlatado ou sardinhas com espinhas
  • Produtos de soja, como o tofu
  • Cereais fortificados com cálcio e suco de laranja

Se você achar difícil obter cálcio suficiente de sua dieta, considere a possibilidade de tomar suplementos de cálcio. Entretanto, muito cálcio tem sido ligado a cálculos renais. Embora ainda não esteja claro, alguns especialistas sugerem que muito cálcio, especialmente em suplementos, pode aumentar o risco de doenças cardíacas.

A Divisão de Saúde e Medicina das Academias Nacionais de Ciências, Engenharia e Medicina recomenda que a ingestão total de cálcio, de suplementos e dieta combinada, não deve ser superior a 2.000 miligramas por dia para pessoas com mais de 50 anos.

 

Vitamina D

 

A vitamina D melhora a capacidade do corpo de absorver o cálcio e melhora a saúde óssea de outras formas. As pessoas podem obter parte de sua vitamina D da luz solar, mas isto pode não ser uma boa fonte se você vive em uma latitude elevada, se está em casa, ou se você usa regularmente protetor solar ou evita o sol devido ao risco de câncer de pele.

As fontes dietéticas de vitamina D incluem óleo de fígado de bacalhau, truta e salmão. Muitos tipos de leite e cereais têm sido fortificados com vitamina D.

A maioria das pessoas precisa de pelo menos 600 unidades internacionais (IU) de vitamina D por dia. Essa recomendação aumenta para 800 IU por dia após os 70 anos de idade.

As pessoas sem outras fontes de vitamina D e especialmente com exposição solar limitada podem precisar de um suplemento. A maioria dos produtos multivitamínicos contém entre 600 e 800 UI de vitamina D. Até 4.000 UI de vitamina D por dia é seguro para a maioria das pessoas.

 

Exercício

 

O exercício pode ajudar a construir ossos fortes e perda óssea lenta. O exercício beneficiará seus ossos não importa quando você começa, mas você ganhará mais benefícios se começar a se exercitar regularmente quando você é jovem e continuar a se exercitar ao longo de sua vida.

Combine exercícios de treinamento de força com exercícios de peso e de equilíbrio. O treinamento de força ajuda a fortalecer os músculos e ossos dos braços e a coluna vertebral superior. Exercícios de musculação – como caminhar, correr, correr, subir escadas, pular corda, esquiar e esportes de impacto – afetam principalmente os ossos de suas pernas, quadris e coluna vertebral inferior. Exercícios de equilíbrio como o tai chi podem reduzir seu risco de queda, especialmente à medida que você envelhece.

 

Crédito foto Dra. Anna Maura: Divulgação.

Crédito ilustração óssea: SBEM-SP.

 

Mais Informações sobre a Osteoporose na Internet
Isenção de responsabilidade! Como um serviço para nossos leitores, o ABCTudo fornece acesso à nossa biblioteca de conteúdo arquivado. Favor observar a data da última revisão ou atualização em todos os artigos. Nenhum conteúdo deste site, independentemente da data, deve ser usado como um substituto para aconselhamento médico direto de seu médico ou outro clínico qualificado.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Política de Privacidade e Cookies