Abctudo 2024
InícioNeurocirurgiãoDistonia: Informações sobre a Distonia, Distúrbio Neurológico

Distonia: Informações sobre a Distonia, Distúrbio Neurológico

Distonia: A Distonia é um Distúrbio do Movimento de Causas e Fisiopatológicas ainda Desconhecidas. É caracterizada por Contrações Musculares sustentadas ou intermitentes, causando movimentos anormais, frequentemente repetitivos, posturas ou ambos. Falaremos tudo sobre distonia e sobre o neurologista especialista em distonia.

Distonia e o Especialista

Os movimentos distônicos são tipicamente padronizados, torcidos e podem ser trêmulos. A distonia é frequentemente iniciada ou agravada por ação voluntária e está associada à ativação muscular por transbordamento.

As Distonias Focais são as formas mais comuns de Distonia e podem afetar diferentes grupos musculares (por exemplo, Distonia Cervical, Distonia Focal da mão, disfonia espasmódica, blefaroespasmo, também a distonia focal do musico). Atualmente, o Tratamento desse Distúrbio está limitado ao Tratamento dos Sintomas, Tipicamente com Injeções de Toxina Botulínica nos músculos afetados.

Os Pesquisadores do mundo todo estão a procura de uma cura ou da solução, porém esta ainda está distante.

Nosso objetivo a longo prazo é identificar os mecanismos neurais subjacentes à fisiopatologia da distonia focal e desenvolver novas estratégias para melhorar o manejo clínico desse distúrbio, incluindo diagnóstico preciso, previsão de pessoas em risco e descoberta de novas abordagens terapêuticas.

O que é Distonia?

O que é Distonia? Neurologista Especialista em Distonia diz: A Distonia é um Distúrbio que afeta a maneira como seu corpo se move. Faz com que seus músculos se contraiam, o que os faz se mover involuntariamente. Ou eles podem ficar presos em uma posição anormal. A distonia pode afetar seu corpo inteiro ou uma determinada parte. Às vezes, os movimentos podem causar dor.

Neurologista Especialista em Distonia ainda comenta que, existem diferentes tipos de Distonia, dependendo de qual parte do seu corpo é afetada:

  • A Hemidistonia
    • Afeta uma perna e um braço em um lado do seu corpo.
  • A Distonia Multifocal
    • Afeta pelo menos 2 partes diferentes do seu corpo.
  • A Distonia Segmentar
    • Afeta pelo menos 2 partes do seu corpo que estão próximas uma da outra.
  • A Distonia Generalizada
    • Afeta áreas de todo o corpo.
  • A Distonia Focal
    • Afeta uma área específica do seu corpo.

O que Causa Distonia?

Neurologista Especialista em Distonia diz que ainda não temos uma ponto em comum para chegar no coeficiente e responder a perguntar. Pois, os especialistas não sabem exatamente o que causa a distonia. Mas eles acham que isso está relacionado a um problema na parte do cérebro chamado de gânglios da base.

É aqui que seu Cérebro processa as informações que ajudam a contrair seus músculos. A teoria é que seus neurotransmissores, os produtos químicos que falam “no cérebro”, são anormais em pessoas com distonia. A Distonia, no entanto, não afeta sua inteligência ou sua capacidade de pensar. Geralmente, não está relacionado a problemas de saúde mental.

Às vezes, a distonia pode ocorrer depois de tomar certos tipos de medicamentos como explica o Neurologista Especialista em Distonia e isso é chamado de Distonia Tardia.

Uma pesquisa identificou vários Defeitos Genéticos diferentes que foram associados à Distonia. A Distonia também pode ser causada por um Acidente Vascular Cerebral – AVC, Neurologista Especialista em Distonia relata que o trabalho em conjunto como na Clínica de Neurologia SP é fundamental nesse tipo de situação, pois precisa do trabalho em conjunto do Neurologista e do Neurocirurgião. A Lesão na Cabeça ou outra lesão no Cérebro. Essas são chamadas formas de Distonia Secundária. Nesse caso, os sintomas podem ser limitados a um lado do corpo.

Quem está em Risco de Distonia?

Neurologista Especialista em Distonia comenta que os cientistas ainda não determinaram a causa exata da Distonia. Mas certos fatores podem colocar você em risco para o distúrbio. Neurologista Especialista em Distonia cista que esses incluem:

  • Predisposição Genética
  • Lesão no seu Cérebro ou
    • Sistema Nervoso
  • Acidente Vascular Cerebral
    • AVC
  • Tomar Certos Medicamentos, como por exemplo os
    • Neurolépticos
  • Infecções
    • Virais,
    • Bacterianas ou
    • Fúngicas
  • Envenenamento, como por exemplo o
    • Chumbo
  • Execução de Movimentos de mão altamente precisos, em exemplos como
    • Músicos,
    • Artistas ou
    • Engenheiros

Quais são os Sintomas da Distonia?

Distonia: Informações sobre a Distonia, Distúrbio Neurológico

É sabido, Neurologista Especialista em Distonia diz que os sintomas podem começar devagar – você pode notar que sua caligrafia está piorando. Você pode ter cãibras nos pés ou, mais notavelmente, pode perder o controle sobre o pé e descobrir que ele se contrai ou se arrasta.

Outros sintomas da distonia podem incluir:

  • Pisca involuntário e rápido que você não pode parar
  • Um repentino aperto ou virada do pescoço para o lado, principalmente quando você está cansado ou estressado
  • Problemas para falar
  • Um tremor na sua voz
  • Sintomas que pioram com cansaço, estresse ou muita atividade física
  • Os sintomas da distonia podem permanecer os mesmos ou piorar com o tempo.

Na Clínica de Neurologia SP em uma debate mensal realizado por todos os profissionais, a Neurologista Infantil ou Neuropediatra, relatou que os primeiros sinais de distonia podem aparecer em qualquer idade, desde crianças (geralmente entre 05 (cinco) e 16 (dezesseis) anos) até a idade adulta.

Como é Diagnosticada a Distonia?

Diagnosticar distonia é um processo de várias etapas diz o Neurologista Especialista em Distonia, porque nenhum teste isolado pode dar uma resposta definitiva. O médico Neurologista Especialista em Distonia geralmente fará um exame físico e avaliará seus sintomas. Ele ou ela também fará um histórico pessoal e familiar para descobrir se você tem alguma indicação genética para distonia.

Outros testes usados para ajudar a diagnosticar a distonia incluem:

Como é Tratada a Distonia?

O seu médico Neurologista Especialista em Distonia adotará uma abordagem individualizada ao seu tratamento. Isso pode significar o uso de uma combinação de coisas para ajudá-lo a gerenciar a dor e reduzir espasmos musculares.

Ele ou ela pode tentar vários medicamentos diferentes que tratam a distonia. Isso inclui medicamentos que afetam os neurotransmissores específicos acetilcolina, GABA e dopamina. Outros medicamentos que o seu médico pode prescrever são anticonvulsivantes ou injeções de toxina botulínica.

Você pode precisar de cirurgia para tratar a distonia, principalmente se não conseguir controlar os sintomas com medicamentos. A cirurgia nos músculos ou tendões pode liberar as contraturas musculares em alguns casos.

Mas a cirurgia pode ter consequências negativas, como destruir partes do seu cérebro.

Injeções nervosas também podem liberar temporariamente a tensão muscular. Estimuladores (terapia de estimulação cerebral profunda) podem ser colocados no cérebro para ajudar a controlar melhor os movimentos musculares.

Outros métodos de tratamento possíveis incluem:

  • Novas maneiras de gerenciar o estresse
  • Bio feedback
  • Fisioterapia ou
    • Terapia da Fala
  • Usando uma tala nas partes afetadas do seu corpo

Quais são as possíveis complicações da distonia?

Movimentos e contrações musculares constantes podem resultar em fadiga e exaustão. As pessoas também relatam que seus sintomas pioram em situações estressantes. Algumas pessoas com distonia podem desenvolver malformações permanentes se seus espasmos musculares levarem à constrição de seus tendões.

O que posso fazer para evitar a distonia?

Mesmo que você não consiga prevenir a distonia, o teste genético pode revelar se você tem um defeito genético que pode causar distonia. Conversar com um geneticista ou um conselheiro genético pode ajudá-lo a decidir se o teste genético é uma boa ideia para você e sua família.

Viver com Distonia

  • Aprenda sobre distonia e opções de tratamento.
  • Peça ao seu médico para recomendar um especialista que saiba sobre distonia.
  • Encontre grupos de apoio para aprender com outras pessoas com distonia.
  • Desenvolva estratégias diárias que apóiam descanso adequado e autocuidado restaurador, como meditação.
  • Desenvolva camadas de sistemas de suporte, incluindo
    • Família,
    • Amigos,
    • Grupos de Suporte e
    • Recursos online.

Investigue terapias complementares, como técnicas de relaxamento, biofeedback, acupuntura e meditação. Converse com seu médico sobre opções suaves de exercícios físicos, como Tai Chi ou outras artes marciais “suaves”.

Quando devo ligar para o meu Médico Neurologista Especialista em Distonia?

Quaisquer espasmos musculares involuntários ou perda de controle sobre os músculos são sintomas que você deve discutir com seu médico.

Pontos Principais sobre a Distonia

Deseja ver diretamente no Youtube o Vídeo do Neurologista Especialista em Distonia Dr Willian Rezende, clique aqui.

  • A distonia afeta a maneira como seu corpo se move. A condição faz com que os músculos se contraiam involuntariamente e pode resultar em dor, fadiga e exaustão.
  • Pode afetar todo o seu corpo ou uma determinada parte do seu corpo.
  • Os especialistas não sabem ao certo o que causa a distonia. Mas eles acham que é um problema na parte do seu cérebro chamado gânglios da base.
  • Os tratamentos podem ajudar a gerenciar a distonia e prevenir complicações.
  • Os pesquisadores percorreram um longo caminho para entender e tratar a distonia. Esperamos que estratégias futuras revelem estratégias ainda mais bem-sucedidas.

Próximos passos – Neurologista Especialista em Distonia

Dicas para ajudar você a aproveitar ao máximo uma visita ao seu médico Neurologista Especialista em Distonia:

  • Saiba o motivo da sua visita e o que você quer que aconteça.
  • Antes de sua visita, escreva as perguntas que deseja responder.
  • Traga alguém com você para ajudá-lo a fazer perguntas e lembrar o que o seu provedor lhe diz.

Na visita, anote o nome de um novo diagnóstico e quaisquer novos medicamentos, tratamentos ou testes. Anote também todas as novas instruções fornecidas pelo seu provedor.

  • Saiba por que um novo medicamento ou tratamento é prescrito e como ele o ajudará.
  • Saiba também quais são os efeitos colaterais.
  • Pergunte se sua condição pode ser tratada de outras maneiras.
  • Saiba por que um teste ou procedimento é recomendado e o que os resultados podem significar.
  • Saiba o que esperar se você não toma o medicamento ou faz o teste ou procedimento.
  • Se você tiver um compromisso de acompanhamento, anote a data, a hora e o objetivo dessa visita.
  • Saiba como entrar em contato com seu provedor se tiver dúvidas.

Arquitetura funcional das redes neurais em pacientes com formas familiares e esporádicas de distonia laríngea (ou seja, disfonia espasmódica). Painel esquerdo: topologia espacial de comunidades funcionais nas redes de média de grupo. Painel direito: distribuição dos hubs bivariados provinciais (amarelo) e conector (vermelho) e seus perfis de conectividade com nós de alta influência (roxo) na distonia familiar e esporádica da laringe (Fuertinger S e Simonyan K, J Neurosci, 2017).

A disfonia espasmódica (DS) é uma distonia laríngea focal isolada, caracterizada por comprometimento seletivo do controle voluntário da voz durante a produção da fala. Apesar das características clínicas bem caracterizadas da SD, suas causas e fisiopatologia permanecem incertas.

Consequentemente, a ausência de biomarcadores objetivos de SD leva a imprecisões diagnósticas, enquanto a falta de entendimento dos alvos neurais e moleculares da fisiopatologia da SD dificulta o desenvolvimento de novas oportunidades terapêuticas para os pacientes.

 

Financiado pelo Instituto Nacional de Surdez e outros Distúrbios da Comunicação, Institutos Nacionais de Saúde (NIDCD / NIH R01DC011805), nosso programa de pesquisa está definido para identificar biomarcadores de imagem e genéticos do desenvolvimento e manifestação de SD.

Distonia é um problema na transmissão de comando entre cérebro e músculo

Utilizamos uma abordagem abrangente de neuroimagem multimodal, algoritmos de aprendizado de máquina e sequenciamento de DNA de próxima geração como uma ferramenta para a descoberta dos mecanismos neurais mediadores que preenchem a lacuna entre a sequência de DNA e a fisiopatologia da SD.

Espera-se que o conhecimento obtido com esses estudos tenha um impacto clínico direto, estabelecendo critérios aprimorados para diagnóstico diferencial preciso, triagem de pessoas em risco e avaliação de novas terapias farmacológicas e / ou cirúrgicas baseadas em mecanismos para esses pacientes.

Distonia?

Distonia: Contrações musculares involuntárias que causam movimentos repetitivos ou de torção.

O que provoca a distonia?

O que provoca a distonia? A distonia é uma doença do sistema nervoso que causa o movimento involuntário (espasmos) de algumas partes do corpo, provocando movimentos e posições não comuns. Quando o problema ataca, a pessoa pode ficar um tempo sem conseguir se mexer por conta da contração involuntária do músculo.

O que vem a ser distonia?

O que vem a ser distonia? Distonia é um tipo de movimento involuntário que pode ocorrer em qualquer região do corpo de maneira localizada (focal) ou mesmo generalizada e se caracteriza por uma contração de músculos agonistas (favoráveis ao movimento) e antagonistas (desfavoráveis ao movimento) simultaneamente.

Como controlar distonia?

Como controlar distonia? Tratamento para distonia. O tratamento da distonia pode ser feito com injeções de toxina botulínica, conhecida por botox, remédios para controlar a distonia, relaxantes musculares, fisioterapia e cirurgia, que inclui a estimulação cerebral profunda.

O que é distonia cervical?

O que é distonia cervical? Resumo: Introdução: A distonia cervical (DC) é um distúrbio do movimento caracterizado por movimentos involuntários, com contrações sustentadas ou repetitivas dos músculos cervicais, causando torções e posturas anormais.

O que pode causar movimentos involuntários?

O que pode causar movimentos involuntários? Movimentos involuntários são aqueles que acontecem sem que a pessoa consiga ter controle sobre eles. Alguns fazem parte do nosso funcionamento normal, como o batimento cardíaco e o movimento dos intestinos, mas podem acontecer outros que não são naturais. Um dos movimentos involuntários mais comuns é o tremor.

O que é distonias agudas?

O que é distonias agudas? Distonia Aguda – Saúde em Movimento. Distonia é um espasmo muscular breve ou sustentado, geralmente com movimentos lentos e anormais. Embora qualquer grupo muscular possa ser atingido, ocorre mais frequentemente em músculos faciais (olhos, mandíbula, língua).

Distonia Cerebral?

Distonia Cerebral? A distonia é um distúrbio neurológico dos movimentos caracterizado por contrações involuntárias dos músculos. Estas contrações compelem certas partes do corpo a executar movimento involuntário.

Distonia parkinson?

Distonia parkinson? Qual a Relação entra Distonia e o Mal de Parkinson? distonia é um sintoma proeminente em pacientes com Parkinson que têm uma mutação no gene de Parkin (um dos poucos genes implicados em Parkinson), no entanto ainda são necessárias mais pesquisas para entender melhor esse motivo.

Distonia
Distonia

Distonia parkinson? Qual a Relação entra Distonia e a Doença de Parkinson? A Distonia é um sintoma proeminente em pacientes com a doença de Parkinson que têm uma mutação no gene de Parkin (um dos poucos genes implicados na doença de Parkinson), no entanto ainda são necessárias mais pesquisas para entender melhor esse motivo.

Atualmente, o laboratório Simonyan usa neuroimagem multimodal, aprendizado de

máquina e modelagem de população neural para determinar e validar marcadores neurais específicos para fenótipo e genótipo de distonia, bem como marcadores endofenotípicos de seu desenvolvimento. Também estamos trabalhando na identificação dos determinantes neurais primários da resposta clínica ao oxibato de sódio em pacientes com distonia e tremor como uma nova opção terapêutica em potencial. Outro objetivo é delinear a neurotransmissão anormal na distonia, o que ajudaria a identificar outros novos alvos farmacológicos. Estamos aplicando várias estratégias genéticas, incluindo o seqüenciamento de próxima geração em famílias distônicas e casos únicos, bem como estudos de associação em todo o genoma em populações isoladas, a fim de identificar novos genes e fatores de risco para disfonia espasmódica.

Artigo Baseado nos Artigos de

 


OPINIÃO

ABCTudo Paulista

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interação de fatos e dados.
** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do ABCTudo/IT9.

spot_img

Crie seu WebSite com quem tem Experiencia

Clique no botão ao lado e conheça a iT9 Marketing

Lugares para Viajar

Descubra Porque se Hospedar na Praia Grande

Ao planejar momentos de lazer no litoral de São Paulo, cada vez mais pessoas estão escolhendo se Hospedar na Praia Grande. E o fato...

Leia também

Higiene Íntima na Menopausa e os Cuidados Necessários

A Menopausa é uma Fase da vida das Mulheres caracterizada pelo declínio na produção dos hormônios femininos, com destaque para o estrogênio. Essa queda hormonal costuma originar uma série de problemas ginecológicos, incluindo a ausência de lubrificação e o...

Convulsão ou Crise Epiléptica – Como Diferenciar – Neurocirurgião Dr Victor Barboza

Convulsão ou Crise Epiléptica: Muitas pessoas acreditam que Convulsão ou Crise Epiléptica tratam-se da mesma situação. No entanto, a ocorrência de convulsão não necessariamente está relacionada à epilepsia: a cada 10 pessoas que sofrem de crises convulsivas, apenas uma...

Espasmo Hemifacial – Neurocirurgião Dr Victor Barboza

O espasmo hemifacial trata-se de um tipo de distonia que provoca contrações involuntárias e indolores dos músculos de um dos lados do rosto (raramente nos dois lados). O espasmo hemifacial ocorre devido a uma disfunção do 7º nervo craniano,...

Publique sua notícia no ABCTudo

Tenha seu artigo publicado. Estudante de Jornalismo? Entre em contato